h1

1º sessão genérica de CdZ minha

17/02/2009

Mesa (encheção de linguíça) de Cavaleiros do Zodíaco, eu mestrando.

Jeferson como Dio, aspirante em treinamento, e Rubinho, como Nalbert de Coruja.

É dado a Dio a missão de entregar um pergaminho. Ele acompanhará Nalbert de Coruja, que tem sua própria missão, averiguar se as informações sobre a presença de um inimigo antigo e poderoso era real.

Ambos partem juntos. Nalbert acompanha a velocidade de Nalbert. No caminho, ambos sentem-se observados. Nalbert sabe que são apenas criaturinhas fraquíssimas comparadas a seu poder de cavaleiro de Prata, mas poderiam dar um trabalho pra Dio. Sem Dio perceber, Nalbert elimina os focos mais fortes de ameaça, deixando os mais fracos apenas caso decidissem atacar Dio.

Nalbert nota um cosmo mais forte pelo chão, perseguindo Dio. Nalbert some e deixa Dio continuar sozinho. Dio não entende por que Nalbert sumira mas prossegue sozinho, ciente da responsabilidade de executar sua missão.

Mas a frente, Dio percebe algo vindo em sua direção, um ataque, mas consegue se esquivar. Um tronco grande havia sido arremessado nele. Ele se concentra de onde veio o tronco e é surpreendido por trás. Mal consegue se esquivar do ataque surpresa. Então Dio e Nalbert vêem um verme gigante os encarando. Ambos se posicionam para combate. Nalbert sabe que poderia acabar com o oponente sem esforço, mas estava ali para ajudar no treino de Dio e deixa que ele lide com o inimigo.

Dio fica lutando com o vermão, sempre analisando taticamente e procurando um jeti eficiente de derrotá-lo. Até que Nalbert nota que há um cara cavalgando o verme, segurando nos pêlos do bicho. Depois de um tempo Dio também percebe quem controla o bicho. Vendo que Dio estava se dando mal, Nalbert resolve acabar com a luta para que não tome mais de seu tempo. Dá uma bicuda no cara que controla o verme. Porém o cara não cai, ele puxa energia direto do vermão, mantendo-o ainda ativo, mesmo que muito avariado. Dio continua lutando, despertando seu cosmo e se esforçando. Então Nalbert resolve explodir tudo logo. Com seu golpe Ferida do Vento dilacera o vermão em muitos pedacinho. fanzendo milhares de verminhos choverem em cima de Dio, que consegue evitá-los.

Dio tente interrogar o cara mas não consegue nada, não era de seu feitio intimidar as pessoas. Nalbert assume, mas o cara escroto tem medo demais de seu mestre para revelar qualquer coisa. Tenta atacar Nalbert com uma adaga suja e enferrujada mas é aniquilado por Nalbert antes de sequer levantá-la. Ambos prosseguem as missões.

Chegam numa vila onde Dio deveria entregar o pergaminho. Nalbert apenas observa de longe. Chegando na cada so alvo, Dio chama na porta mas é escurraçado por quem está dentro. Dio estranha, mas decide que que tem que entregar o pergaminho de quaquer forma. Procura outra entrada, acha a chaminé apagada. Ouve cochichos e passos na casa. Sutilmente entra pela chaminé. Consegue ver quem está lá, o cara que seria seu contato, muito machucado num sofá e uma mulher gostosona o interrogando. A mulher nota que há mais alguém na casa, então Dio parte pro ataque, lembrando das palavras de seu mestre sobre resolver as disputas o quanto antes. Fica lutando com a mulher, ambos no mesmo nível, até que antes de dar um golpe sente os músculos da perna travarem. Vê então um verminho, daqueles que haviam chovido nele, caindo por um buraco na calça. Depois vê manchas esverdeadas pelo seu corpo. Pensando em resolver a luta enquanto seu corpo não estivesse totalmente zuado pelas ações do verme. Então nota o cara no sofá discretamente puxando uma espadinha de lâmina vernelha debaixo do sofá, ele lhe indica para trazer a mulher mais para perto para que ele possa atacá-la de surpresa. Dio entende e dá um golpe falso, fazendo com que a mulher desvie para o lado desejado dando a oportunidade do cara a estocá-la por trás, logo depois caindo com as tripas pra fora. A mulher cai com a espada cravada em sua anca mas ainda vive. Dio tenta interrogá-la mas ela usa suas unhas e estranhamente de auto-dilacera, caindo em pedaços. Dio suspeita que seja apenas um truque e que a mulher na verdade havia fugido. Tenta ajudar o cara no chão, seu objetivo primário. Pergunta sobre a mulher mas ele só diz que ela queria a urna, então cai morto.
Dio então analisa a casa a procura da tal urna. Encontra num esconderijo no teto. Lá encontra um estojo comprido, e ao abrir vê uma espada ornamentada.

Lá fora, Nalbert sente os cosmos combatendo, e ao se aproximar da casa pra ajudar nota no ambiente o cosmo daquele que ele rastreava. Tenta focalizar e percebe que o cosmo vem do chão. Não faz idéia do porque da energia estar por ali, deduz ser alguém influenciado pelo tal inimigo, não ele de verdade. Então vê Dio saindo da casa. Decidem voltar ao Santuário para assegurar que a espada não caia em mãos erradas.

%d bloggers like this: