h1

2º sessão de Exalted do Seiya

17/02/2009

“2º” mesa de Exalted do Seiya

Agora a Abissal da Graci tem nome, Sombra Desemcorporada do Sol [SDS]

Estávamos no navio, então começamos a sentir uma essência fortona numa direção. Minha visão espiritual mostrou um montão de fantasminhas por lá. Shadowlands. Seguimos a direção e trombamos fastasmas mais fortes. Eles ajoelham pra SDS. Falam que uma rainha megafoda Abissal tá esperando ela pra batizar a SDS. Seguimos colados enquanto levam ela pra rainha picudona. Lá encontramos uma mina lindona que faz o ritual de batismo Abissal. Entrega uma armadura, uma tiara e um colar, e seis fantasmas escravos.

Doll e Kalini vão proutro canto e encontrar um teco de metal raro, Doll pega e começa a ser infectado, então corta o próprio braço pra deter o avanço do vírus. Usa um campo de força pra segurar o metal e volta pra nós.

Somos liberados, mas já anoiteceu, então não conseguimos voltar pro mundo normal (a criação), ficamos presos no Underworld, mundo dos mortos.

SDS faz os fantasmas invocarem uns esqueletos que formam um serpentão e fica segurando o metal que Doll achou.

Ficamos esperando amanhecer mesmo sendo muito perigoso ficar por lá. Começo a sentir um chamado de socorro dum espírito. Não devia ter um espírito lá. Pergunto pro Doll o que pega por lá e ele explica que é um lugar ruim pra diabo e pra não irmos pra lá. Eu vou e o povo decide ir também. Vamos entrando numa caverna padrão, sussurros, gemidos, rostos sofrendo por todos os lados, blá. Doll desliga por um tempo por causa de vozes na cabeça dele. O povo pára, eu continuo. Chego numa alcôva com um espírito coelho perneta preso por uma correntona. Liberto o pulha e o lugar pede um pedágio, deixo um pouco de sangue pra eles. O lugar fica feliz e me oferece conhecimento místico. Aceito. Vou seguindo outro corredor até chegar numa sala cheia de pergaminhos.

O povo volta a andar, chega na alcôva. Doll resolve ir sozinho pra outro corredor pra coletar um material bizarro raro. Kalini e SDS vão até onde eu tô.

Lá na saleta pego uns pergaminhos legais com magias, histórias e conhecimentos gerais. Até um livro feito de pele humana com instruções sobre magia escura. Kalini acha um baú e dentro um bola dourada (heartstone). Em troca de toda tralha que pilhei conto umas histórias pra sala, show de luzes rola na sala.

Doll, no outro corredor, encontra o mineral que queria, sendo minerado por carinhas aleatórios. Há sangue correndo pelos veios banhando o material. Ele chega na caruda pra minerar, o minerador retruca, ele aponta um canhão pra fuça do carinha que some levando o mineral. Doll resolve exterminar todos mineradores pra pegar o mineral pra ele. Pedala vários mas fica muito zuado, então usa sua megabomba interna pra acabar com todo mundo ali. Ele explode junto com os mineradores, mandando uma última mensagem via essência: FUJAM!” Só sobrou a cabeça dele caída no chão.

Um alarme começa a gritar. Recebemos a mensagem de Doll, e não sabendo que tava acontecendo e como ele era o cara que entendia das coisas, fugimos.

Lá fora, esperamos o puto voltar mas ele não volta. Amanhece e o Underworld vai embora, temos que esperar um dia inteiro antes de tentar um resgate.

De volta ao navio vou descansar por que tinha um compromisso ao meio-dia.

Kalini enche o saco de seu filho, Auran, pra voltar pra salvar Doll. O filho agarra ela e pula na água. Afunda, afunda até ela desmaiar. Volta e descarrega ela no barco, não conseguiu levar ela até o Underworld.

Kalini começa a sonhar e encontra Doll no sonho. Falam abobrinhas e Doll diz que nem vai mais voltar. Kalini fica histérica.

Eu, SDS e esse Lunar, mergulhamos e vamos até a gruta que estávamos marcados de ir. Na gruta vemos uns padrões xadrezisticos que SDS reconhecera como um enigma. Fica resolvendo e vamos seguindo. Portas se abrem, espíritinhos mecânicos aparecem, sentimos essência protegendo o lugar. Até que chegamos numa salona cheia de trecos tecnológicos e com um robô de Moonsilver de 20m. Leio coisas e entendo que é um artefato construídos há muitos séculos pelos Lunares megafodôes. Pulo e entro no bicho, o cockpit me aconchega, a forma externa do robô começa a assumir minha forma de combate, o mamutão humanóide. Auran, filho da Kalini, arranca sua heartstone que o mantinha vivo e me entrega, algo a ver com o destino dele, a pedra é absorvida pelo robozão e o Auran some. Ele fala abobrinhas na minha mente e some de vez. Contraio o robozão que é absorvido pela minha alma e armadura.
Ganhei um EVA. HA!

Kalini, ainda viajando na batatinha, recebe uma visita do super deus dos autctonians, o autocto. Ele lhe diz que dá pra salvar Doll, só encontrar o tal Olho de Autocto. Ele lhe diz onde tá e ela resolve ir atrás.

Doll troca idéia com a Rainha megafoda e faz uns acordos lokos que num entendi lhufas. Sai por aí tendo sua cabeça carregada por esqueletos enquanto se repôe.

Fuçamos a salona onde estamos, SDS e eu, achamos vários dispositivos bélicos, até o super botão vermelho que zoa tudo. Ela fica em crise por ter sido contratada pra achar o lugar e teme por sua reputação. Resolve se dar como morta para que os contratantes dela não encham o saco e a reputação continue intacta.
Selo a sala toda com minha essência, permitindo que só eu consiga entrar lá de novo. Voltamos pro navio.

No navio. Kalini fala com o piloto, um Sideral, que ensina um poderzinho novo pra ela.
Chegamos, contamos sobre a morte do Auran, ela cai em prantos e conta do lance de salvar Doll. Ir até uma floresta e resgatar o Olho de Autocto. TrÊs dias depois, aprendo uma das magias que peguei na gruta do underworld, uma magia de transporte rapidão. Partimos nessa magia.

Tenho um desses só que com tromba.

Tenho um desses só que com tromba.

Mano, eu tenho um EVA. Só acho q eu ficaria horrível naqueles trajes grudadinhos. ugh…

%d bloggers like this: