h1

3º mesa de Wraith do Angelo

17/02/2009

3º mesa de Wraith do Angelo

Começou com o apê de Anna sendo atacado. As criancinhas ficaram nervosas por que algo tava vindo e mandou Anna pra fora, ela agarrou Rose, uma das crianças e saiu correndo enquanto ouvia o som de algo grande e malvado se aproximando. Ao sair na rua encontra uns legionários. Pede por ajuda, e nota que são todos deformados, sai correndo deles enquanto eles entram no apartamento. Rose, no colo de Anna, esperneia pra voltar, diz que aqueles legionários vão lá para ajudar os monstros. Anna tenta acalmar Rose mas na sua mente vem aquela vozinha maldita duvidando das capacidades dela como mãe. Ela lembra das coisas que as crianças ensinaram pra ela, algo pra pedir ajuda quando desse bosta, essa era a hora. Concertra-se e pede ajuda, um cara mal encarado brota da parede perguntando onde tava a treta, ela o indica. O bicho vai pra lá a toda e entra na pancadaria. Anna, se sentindo muito culpada, volta pra buscar as crianças. Lá, chama por mais ajuda, e aparece mais dois caras malvados pra ajudar. Ela chega na treta e vê os legionários e um monstrão lutando com os caras malvados e suas crianças, Tim, o filho de verdade dela, está coberto com uma armadura de ossos mas caído, Mike está grotescamente maior e passando o sarrafo na galera.
Mas não vê Matt, a outra criança. Puxa Tim e depois Mike, e sai correndo com eles.

No mercadão, eu e vovó Laura. Ela me ensina como permanecer por mais tempo naquele mundo gastando energia (Pathos). Passeamos, ela me mostra como controlar meus sentidos que ficam mais aguçados lá, depois voltamos. Fico todo emo com lances de vida e morte. Buá.

Paula continua aprendendo com Pierre no estúdio. Ela aprende a se ocultar usando som.

Nos trombamos e conversamos bobagens, passo minhas emices pra ela sobre o mundo dos vivos.

Um vento forte começa lá fora, uma bruta tempestade se aproxima. Pierre fecha tudo loucamente, eu acompanho. Até que Anna e seus capetinhas batem na porta. Abro pra elas e fecho tudo novamente. Ela diz sobre a zona que está acontecendo na casa dela.

A mega tempestade começa. Pelas frestas é possível ver sangue chovendo. Gritos e urros se espalham. Laura e Pierre ficam com medo por que sabiam o que tava acontecendo, a gente por que não sabia. Vidros começam a explodir, arrasto um armário pra proteger dos estilhaços e as crianças somem. PÃFF. Aparentemente tão tretando lá fora. Sabe lá deus por que mas Laura e Pierre resolvem sair pra tretar também. Laura sai e antes que Pierre saia Anna grita com ele pra ele explicar tudo. Ele enrola e sai também. Eu me empolgo e resolvo sair também. Hora de purificar uns infiéis, levar a luz até aqueles bastardos.

La fora a treta come solta. Um monte de bichos bizarros voando e espancando outros bichos. Laura está voando e com um campo de força ao seu redor, Pierre tá tocando seu maldito bandolin. Eu puxo o pergaminho sagrado e começo a pregar. Os dados não ajudaram tanto dessa vez, consigo limpar uns 10m ao redor da gente. Dá tempo e voltarmos pra dentro da loja. As crianças voltam. A tempestade mia e acaba. Como bom maluco acho que foi por minha causa. hehe

Na loja, fazemos montinho nos npcs pra nos explicar tudo. Laura, de saco cheio, resolve falar. Pega uma caixa debaixo do balcão com um monte de fotos. Mostra pra gente. Começa a falar da família dela, blablabla, então reconhecemos Martinelli, o chefão da máfia que Anna caçou, igualzinho há uns 60 anos no mínimo. [Várias maluquices passam por nossas cabeças em OFF. Vampiro? Carniçal? Demônio? Vai saber…] Muita pentelhação nossa depois eles falam sobre ele se alimentar de sangue e talz. Em outra foto reconheço o sacerdote da minha seita perto desse Martinelli, também igualzinho quando eu conheci. [minha cabeça explodiu! hehe]

Muita discussão depois, Anna reconhece nas fotos crianças que parecem com o pai das crianças dela. [hein?] Ela mostra pra Laura, que também reconhece e entendemos que aquelas crianças malditas são parentes de Laura. [Tela azul da Paula, ou seria Tia Paula..]. Anna fala de Frank, pai das crianças, Laura lembra dele, e some. As crianças começam a pentelhar por doces e somem de novo. Depois aparecem levadas por um cara que aparentava estar vivo. Bem vivo. Pierre recebe ele todo nervosinho e o cara, Pedro, vai embora. Montinho no Pierre e ele conta que o tal Pedro era uma artista que ele inspirava há muito tempo mas antes de morrer Pedro fez uns pactos com o cramunhão e agora tá mó poderoso. [só o que faltava] Falo com Paula e Anna sobre as premonições de Stu, que correm perigo e blablabla.

Depois de um tempo Laura volta. Diz que Frank tá morto e preso por alguém. Diz coisas sobre o tal mas ficamos perdidos de qualquer forma [em OFF suspeitamos de Samedi]. Ela conta que quase foi capturada por pessoas que usavam óculos verdes que podiam ver wraiths perto das torres gêmeas. Antes de eu voltar pra casa Anna me ensina mais uma coisa, sussurrar nos ouvidos das pessoas. No mundo dos vivos, no mercaco, sussurro no ouvido duma atendente coisas malucas sobre a luz e a esperança, ela acaba pensando que foi o espírito santo. hehe

Voltando pra casa de Stu, trombo Phil [Seiya tava dormindo esse tempo todo…] Ele diz me engambela, me chama pra salvar a alma de alguém, o que faço todo empolgado. [sou facinho] Chegamos até as torres gêmeas, onde o tal da alma estava preso. Em volta da torre tem um ciclone gigante protegendo. Phil passa de boa mas eu falho miseravelmente.

Anna conta que Mike, um dos pivetes sumiu, e Laura resolve pegar as crianças pra ela. Anna cola junto.

Sei lá como mas Paula é enviada pra um lugar bizarro pelas crianças. Mais brincadeiras malvadas. Paula vê um templo grego com guardas bizonhos. Entra e lá está o cara que matou ela, que jogou ela duma janela, pregando a escuridão e destruição junto dum monte de cultistas. Eles percebem Paula. O cara fala com ela pra se juntar e blablabla. Ela recusa e tenta sair mas fica presa. Sua mente fica distorcida e ela apaga. Dados malvados.

Phil, volta até a loja e encontra Anna e Laura. As duas estão procurando Paula. Phil se oferece pra ajudar em troca de ajudá-lo a me encontrar. Laura topa, Anna vem de tabela. Pierre fica cuidando das crianças. [coitado] Phil usa seu poder de rastreio e sente Paula bem longe. Laura vai levando o povo. Chegam num rio negro com almas, encontra um barqueiro esquelético padrão e segue pelo rio. Aportam no Labirinto, lugar muito muito ruim mesmo. Os três partem pelo labirinto, encontram criaturas bizarras que tentam comê-los, até trombarem numa meleca gigante que engole Paula. Gulp. Depois tenta engolir Anna, as Phil consegue puxá-la pra fora. Porém Anna perdeu suas memórias e não lembra o que aconteceu depois que foi dormir na noite seguinte. [sim, esqueceu todo plot da sessão-huhuhu] Não fazia idéia de onde estava ou o que tava fazendo ali. Chama ajuda de novo e aparecem 3 caras malvados pra ajudar. Vão até a meleca e são engolidos. Phil e Anna saem correndo.

No caminho encontram Paula jogada, não sabe como foi parar lá. Os 3 correm e encontram uma tampa. Batem tentando abrir mas é muito pra forcinha deles. Do outro lado ouvem pessoas falando e mandando eles sumirem dali senão os explodem, pensando se tratar de espectros [wraiths bichados]. Os caras abrem a tampa e puxar os 3 pjs pra fora. Uns caras gigantes armados até os cabelos, pegam eles e jogam em gaiolas pra averiguação.

Eeequanto isso, no mundo dos vivos, eu estou preso num tubão de vidro, cercado de outros tubões com wraiths dentro, inclusive meu truta Stu. Há cientistas estranhos por todo lado. Não consigo sair do tubão, materiais especiais. Nos jogam num furgão e passeamos.

Chegamos num galpão, somos descarregados. Tento sussurrar maldições pra assutá-los mas os dados não colaboram. Os cientistas pegam um dos tubões, colocam numa máquina e o wraith que tava lá é transformado em energia. Puxo meu pergaminho sagrado e começo a usar. Tento incurtir neles sentimentos de arrependimento, culpa, e essas baitolagens pra que nos soltem. Eles ficam hesitantes até que um deles começa a marretar os tubões, nos libertando. Saio de lá, olho o lugar de fora e volto pra Shadowlands. Encontro Stu, ele me diz foi pego quando andava tranquilo pela rua e foi sugado por uma máquina dos vivos. Decido ir até os puliça pra contar isso pra que resolvam. No caminho encontro Laura caída e desmemoriada. Não lembrava de nada, nem de onde estava. Levo ela até a loja e passo o abacaxi pro Pierre. Vou até os puliça, faço o B.O., ganho uns trocos pela informação e volto.

No caminho encontro Paula, Anna e Phil, perdidos. Voltamos pra loja de pierre. Encontramos Laura. Todos contam tudo que aconteceu. Plim.

Anúncios

2 comentários

  1. Dormi pq tava podrão… Mas que foi engraçado eu arrancando a persnagem da Lara de dentro do monstro-gosma foi divertido… Ainda mais no auge da minha força…2

    Abraços e mantenha mesmo o blog que tá muito foda!!!


  2. Seiya versus Gosma Malévola.



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: