h1

4º sessão da minha de CdZ

17/02/2009

4º mesa minha de Cavaleiros do Zodíaco

Nessa sessão o Rubinho faltou, então o Tigas levou Nalbert já que ele tava de bobeira por lá.

Começamos com Folk e sua missão de levar a caixa da armadura de Girafa até os cavaleiros.

Ele encara a criatura feita de folhas e galhos que tem a feição exata do cara que matou sua família. Ele fica na fúria, lembra de tudo que o safado fez e tenta acertá-lo. Pula os cipós que tentava pegá-lo e acerta o bicho. Porém ele nota que o acertou aprtes moles e que não afetou em nada a criatura. O bicho devolve o murro, mas Folk esquiva. Então um corvo pousa num galho próximo, ignorando a luta, e limpa suas penas. Folk fica intrigado pensando ser alguma interferência de seu mestre Mani. Parte novamente para o ataque, dessa vez usando todas suas lembranças como motivação, e antes de acertar o bicho nota que ele não tem mais a feição do homem que assombrava os pesadelos de Folk. Ele hesita e o bicho devolve o murro, ferindo Folk e novamente tomando a feição do homem. O corvo grasna, voa até o chão cutucando atrás de minhoca. Folk questiona suas ações, se pergunta se aquilo tudo era real. A criatura vem novamente até ele, Folk esquiva e nota novamente a mudança da feição do bicho. Então sente que aquilo não é a criatura real, há algo ao seu redor, aquele homem não está lá, ele está enfrentando suas próprias dúvidas e lembranças, percebe como está preso a elas e que tem de deixá-las em paz e prosseguir. O corvo revoa ao redor de Folk, outros corvos chegam e pousam nos galhos. O bicho disforme ataca novamente, então Folk fica em paz com suas memórias e percebe que ali só havia mato retorcido, nenhuma criatura. Um de seus companheiros o chacoalha perguntando por que havia parado. Folk vê o resto da comitiva se afastando. Dá adeus a seus sentimentos raivosos e prossegue sua missão.

Mais pra frente, já mais próximo de onde deveria chegar, nota um cheiro horrível no ar. Conforme corre com seus companheiros nota algo estranho no ar, uns fio de fumaça negra. Os evita. Um de seus companheiros tomba, vomitando e gritando de dor. Folk volta para ajudá-lo enquanto os outros prosseguem. Sente-se inútil por não conseguir ajudá-lo e nota outro dos companheiros caindo mais a frente. Pega o primeiro nos braços e ele morre. Corre até o segundo que morre logo em seguida. Corre até seus companheiros e os avisa sobre os fios negros, mas eles não dão bola e continuam caindo e morrendo um a um, até que aceitam a liderança de Folk que os leva pelo caminho mais seguro. No caminho Folk pode notar mais a frente a movimentação dos cavaleiros. Finalmente chega até lá, com mais 3 aspirantes, e vê o enorme dragão negro lutando com os cavaleiros.

Os cavaleiros notam a aproximação de Folk e os aspirantes.

Na batalha, Nalbert de Coruja estava caído, ou pelo menos sua armadura. A armadura de Hidra lutava sozinha. Nick de Grou tinha garras nos dedos e o cavaleiro de Girafa estava afastado se recobrando de um duro golpe. Ken estava num plano espiritual ligado ao cavaleiro de Girafa.

Girafa diz pra si mesmo que não pode derrotar o Dragão pois isso eliminaria ele e mais dois dos cavaleiros que ali estavam, Derek e Nalbert. Ken lhe dá um sermão sobre cavaleirice e diz que ele deve derrotar o dragão qualquer que seja o custo. Ele concorda e volta correndo pra área de combate.

Derek de Hidra faz seus movimentos marciais tentando fazer um ciclone de água para absorver a névoa negra que pairava sobre o campo de batalha, mas a névoa agindo como uma criatura viva se contrai e se afasta do ciclone.

Um dos aspirantes, tentando mostrar serviço, corre até o campo de batalhe gritando para os cavaleiro que havia trazido a caixa da armadura de Girafa para eles.

O dragão ainda na ofensiva ataca aqueles próximos novamente, Hidra e Grou, que se esquivam habilmente encontrando Girafa na volta. O pobre aspirante que invadiu o campo de luta é arremessado longe derrubando a caixa da armadura. O dragão continua sombando deles.

Girafa diz que devem derrotar o bicho mesmo que isso custe suas vidas. Derek concorda imediatamente. Girafa pede que eles atrasem o bicho, o prendam, pois ele precisava de tempo. Eles concordam e partem pro ataque.

Nalbert se recobra.

Girafa faz movimentos duros e se fecha numa forma compacta com um punho cerrado e braço esticado pra cima, quando seu pé bate no chão há um leve tremor. Ken percebe que Girafa acumula cosmo e agiliza o processo passando o seu pra ele. Girafa quase perde a concentração mas consegue segurar. A constelação de Girafa aparece atrás dele e toma a forma de uma girafa brilhante.

Hidra e Grou atacam cada um uma asa. O dragão é pego desprevenido pela tática e nisso o cavaleiro de Girafa ativa seu golpe. O Estouro de Manada [Giraffe Stampede]. Começa correr loucamente na direção do dragão. Atrás dele mais cavaleiros de girafa aparecem, e mais e mais, uma multidão de cavaleiros correm atrás dele, cada um com seu passo, tremendo o chão. Como uma onda eles pula e arrebentam o Dragão, esmurrando e pisoteando a criatura. Ela cai toda estourada enquanto o Girafa pára atrás dela exausto.

O dragão estente a pata até a névoa negra como se tentasse puxá-la, mas Nalbert a afasta com seu controle de vento. O dragão começa a dissolver e névoa e some junto com os escritos místicos de Nalbert.

Folk resgata seu companheiro e o tira da área de combate, assegurando o bem estar dos aspirantes.

O resto da névoa negra estribucha caóticamente, e começa a se esvair como carne queimada num tufão negro. No lugar onde a névoa se concentra logo antes de se esvair surge um homem. Negro, forte, descalço, calças largras negras, torso nu cheio de tatuagens tribais, dreads grossos na cabeça. Ele parece fragilizado e confuso. Pergunta onde está e o que acontecera. Tenta erguer-se mas cai muito fraco. Nalbert, ou sua armadura, vem auxiliá-lo.

Tipo esse cara, só que bem exausto

Tipo esse cara, só que bem exausto

Girafa relaxa e diz que está tudo acabado, ken lhe diz que devem fazer algo pra salvar seus companheiros mas Girafa diz que quem podia fazer algo era o dragão mas esse já era. Ken pede que tente manter-se ainda nesse mundo pois precisavam encontrar um meio de solucionar tudo. Ele concorda e continua se concentrando para não se esvair.

Todos questionam o negão mas ele só diz que enfrentava a criatura quando foi parar num mundo de escuridão e depois aparecera ali. Ken tenta ativar os pontos cósmicos do negão pra que ele se recupere mas não encontra os pontos, como se não houvessem, depois tenta achar o cosmo do homem mas não acha.

Folk chega até o cavaleiro de girafa e pergunta se pode fazer algo pra ajudar. Ele responde apenas para lembrar dele, o homem que foi Haruk de Girafa.

Nick diz aos cavaleiros sem corpos que ainda estão presos no plano de escuridão para atrairem-se através das armaduras para o plano normal. Não conseguem e partes das armaduras de hidra e girafa começam a cair pelo chão.

Nick decide se transportar para o mundo de escuridão da mesma forma que veio para ajudar seus companheiros. Ken os harmoniza e todos fluem seus cosmos para Nick. Nalbert faz um túnel de vento ligando-o aos dois mundos. Nick vai mas lá não consegue tocar e ajudar os outros cavaleiros. Derek conecta seu cosmo na forma de uma corrente de água. Os três se esforçam para voltarem ao mundo normal.

No plano normal, o Negão se aproxima de Haruk de Girafa e diz que pode lhe ajudar. Haruk e Ken discutem se podem confiar nele e ambos concordam que sim. Haruk aceita a ajuda e pára sua concentração, deixando cair o resto das peças da armadura de girafa. Então o Negão ergue o corpo de Ken (que estava sendo usado pelo Haruk) e crava sua mão pelas costas dele agarrando o coração de Ken, que volta instantâneamente para seu corpo com uma puta dor de cabeça e Haruk é dissipado.

No mesmo momento o plano de escuridão se desfaz e os três cavaleiros aparecem, sem suas armaduras. Vêem o Negão erguendo o corpo de Ken com a mão segurando seu coração.

Hora do CG.

O Negão gargalha malignamente e canta sua vitória sobre os cavaleiros. Se vangloria de ser a mais forte das Brumas e que derrotará todos os cavaleiros em nome de sua senhora, a Dama das Brumas. Ele olha para um local afastado e todos vêem a dama. Uma moça jovem, bonita e frágil num vestido fino branco espreita todos no alto de uma colina com um olhar de desdém. Plim.

Dama das Brumas

Dama das Brumas

Enquantos os cavaleiros confabulam um jeito de salvar Ken do aperto do Negão, Folk vai até ele e pede que o largue. O negão diz que o soltará se Folk entregar sua vida de bom grado em troca. Ele desconfia do Negão mas aceita os termos, e quando vai pra completar a troca Ken aponta pra ele, ameaçando-o caso desse qualquer coisa para o Negão. Folk não sabe o que fazer, então Ken, sabendo que vai irritar muuuito seu truta Mani, dispara sua técnica em Folk, liberando os pontos cósmicos para que seu cosmo despertasse forçadamente e Folk pudesse lutar também. Folk é arremessado longe.

Nisso os três cavaleiros restantes unem suas forças fluindo seus cosmos para Nalbert que atira sua Ferida do Vento tentando serrar o braço do Negão fora liberando assim Ken. Mas o vento de Nalbert é confrontado pelas névoas negras do Negão e enquanto elas se anulam do nada aparece novamente a armadura de Girafa movendo-se sozinha e segura o braço do Negão, travando-o de forma que não pudesse espremer o coração de Ken.

Folk sente todo seu corpo ferver, todo seu sangue queima, ele arde em dor. Ele observa a treta rolando e com a dor e adrenalina corre gritando até a luta. Seu cosmo jorrando descontroladamente.

O negão concentra uma esfera negra de névoa na sua outra mão e parte pro ataque a armadura de Girafa. Derek ataca com seu Dragon Blade, cortando o braço do Negão. Nick pula com seu Power Slash enquanto Nalbert cria um túnel de vento focalizando o poder de Nick que desfere ferozmente suas garras no peito do Negão, o retirando de dentro de Ken, afastando-o enquanto Folk aparece com um murrão no meio do peito do cabra. Ken cai no chão, usando sua técnica dos pontos cósmicos para curar-se. A Dama das Brumas olha com desprezo para todos. Pff…

%d bloggers like this: