h1

1º sessão de Scion do Angelo

26/02/2009

“1º” sessão de Scion do Angelo

Não sei em que sessão está exatamente, já jogamos algumas vezes, deve ser algo como 4º ou 5º, de qualquer forma é a primeira a ser postada aqui.

Tô como Charles Unmundi, Filho de Xangô, príncipe de camarões feio pra diabo. A Graci tá de Izel, filha de tezcatlipoca e psicóloga. Lara tá de Yue filha de Amaterasu, japonesa porradeira. O Kauê tá como Johan  filho de Odin, boyzinho. O Seiya tá como filho de Hades, mas dormiu de novo e não jogou. Eeee seiya….

Tem outros PJs mas foram NPClizados temporariamente.

Somos filhos de deuses, descobrimos há pouco tempo, nos juntamos, fomos presos, fugimos, trombamos um Titã (que os deuses lutam contra), nos aliamos a esse titã que mandou a gente libertar ele no reino das sombras. Tá amrcado pra dali uns 2 dias. Tamo lascado.

Xangô - Papai porradeiro

Xangô - Papai porradeiro

Johan tava correndo no parque quando um tiozinho aparece querendo correr junto. Aposta corrida com Johan e dispara na frente. Johan fica impressionado. Os dois conversam e o tio revela ser Odin, pai de Johan (tã dãããããã!!!!) Diz pra achar o outros como ele (nós) e deixa uma das gralhas ali. Diz que estão na Zona Leste. Johan pega o carro e vai pra ZL.

Comecei chegando no terrero de Pai Eder, ia rolar uma baita festona pra Xangô mais anoite e fui ajudar nos preparativos. Lá me entrosei com o povo do terrero, e enquanto aprontávamos a festa Xango apareceu e ficou na miúda. Uma velhinha colou e disse que sabia que o puto tava lá, que uns podiam sentir. Xango me disse que viria pra festa e queria tudo bunito. Dei um discursinho pro povo ficar feliz e trabalhar direitinho. Então fui comprar umas coisas com um dos caras do terrero.

Izel está no plano maluco de Tezcatlipoca, aprendendo a sacrificar coisinhas (animais, criancinhas, coisinhas). O papai maluco dela ensina a ler tripas. Puxa um cara do nada e rasga o bucho do cabra. Perguta o que ela vê. No começo ela descreve as coisas medicalmente depois começa a ver coisas escritas nas tripas, o pâncreas (ou era o duodeno?) diz que mais filhos de deuses tinham aparecido e tavam na encrenca também. Fala também que seremos atacados. Depois o doido joga Izel devolta pro mundo normal.

Yue tem uma conversa com seu mestre. O véio traz um porretão e fica tacando pelo dojo arrebentando tudo. Vem com uns papos loko de que Yue é na verdade filha dele com a Deusa Amaterasu, diz que tem 200 anos e que tá morrendo. Mostra pra Yue coisinhas velhas e blablabla. Depois o véio passa um trampo pra ela, tirar um japonês da prisão (PJ do Danizinho).

Eu e o cara do terrero num carro, Johan vindo na direção oposta, então Izel aparece do nada no meio da rua. Batemos os carros. Começa a vazar algo de um dos carros e tudo explode. Podemos ver uma carinha rindo no fogo. O cara que foi comigo morre. Saímos correndo Izel e eu, Johan vem na bota, conversamos e descobrimos todos sermos filhos de deuses. Voltamos todos pro terrero de taxi. No caminho Izel liga pra Sven (PJ do Fay) e avisa da encrenca e pra ele e Jonh (Pj do Eros) colarem no terrero.

No terrero, explicamos a zona pra pai Eder, depois começamos a festinha. Johan tenta falar com Odin.

Então tudo fica paralisado menos nós, tudo fica mais escuro, uma presença maligna nos cerca. Uma voz cavernosa começa a falar. Algo sobre o seu filho que deve ser encontrado. Não fazemos idéia de quem seria (pj do puto dorminhoco do Seiya…) Depois o cabra aparece. Armadura, espinhos, atitude. Começa a nos questionar sobre nossa viajem pro mundo das sombras pra libertar um Titã. Peitamos o cidadão e ele vai embora.

Rola a festinha pra Xangô mas num pega nada.

Na prisão Yue está nos dutos de ventilação olhando as celas, lá estão os outros Pjs. Uma sombra conversa com eles (nosso amigo titã que gosta de ficar nas sombras dos outros, mas a yue num sabe). Então Sven e John somem na sombra.

Yue volta pelo banheiro e vê a sombra tocando o puteiro na delegacia, então ela aproveita a distração vai até as celas liberar o japa. Na cabine de controle, quando vai abrir as celas toma um chocão por trás. Cai e ouve a voz do advogado (um dos vilôes) trazendo várias provas incriminadoras contra ela e zoando ela. Deixam lá ela estribuchando e vão embora.

Ela levanta e abre a cela do japa, só que o puto não quer sair, pois isso liberaria o irmão dele. Ela resolve partir pra porrada e desacordar ele, e diz que o irmão dele já tá morto mesmo. Desacorda o japa e joga ele no porta-malas.

Na rua o Japa acorda e começa a socar o porta-malas. Yue vai até lá dar um sossega leão, mas a porta voa e o japa puxa ela pra dentro. Os dois começam a se porradear. Tapa vai, tapa vem, a puliça aparece, junto com o advogado. Dá uns pipocos nela e ela arrebenta o japa, que acaba pedalando.

Nós, saindo da festinha, Johan tem uns tremiliques e começa a ter visões, vê a japa socando o japa dentro do porta-malas. Quando volta a si vemos uma gralha pousando ali próximo. Mais um tremilique e mais visões de porta-malas.

Hora de usar poder novinho em folha. Ninguém na rua, subo voando e procuro pelo carro na região. Izel e Johan me seguem de taxi. Vejo a perseguição e sigo. No carro da puliça vejo o advogado safado que zuou muito a gente até agora. Espero chegar numa rua mais deserta, desco rapidão até a janela do motorista e viro o volante com tudo jogando o carro na parede. Enquanto eles brigam com o airbag, pego um paralelepípedo (ou pedrona) e desço na jaca do advogado (foi bem realizador…) Nessa chega o taxi com os trutas. O tiozinho taxista desce com o .38 na mão tremelente e aponta. Tento dialogar mas o safado dispara, mas acerta o pneu. Aproveito pra arrebentar a jaca do carona também. E nisso o taxista começa a ter um enfarto (não, desgraça pouca é bobagem) Deixo Izel e Johan cuidando do cara e saio voando de novo atrás do outro carro.

Yue chega em casa e vai estacionando. Eu colo no alto dum prédio e fico observando. Uma gralha cola do meu lado.

Izel me liga e digo onde a japa chegou. Olhando pela janela uso um poder e verifico se a japa é culpada mesmo de matar o japa truta nosso. Vejo que é culapda. Izel e Johan chegam. Nos juntamos, discutimos e decidimos entrar e julgar a moça.

Lá dentro Yue e sua mãe trocam ideía. A campanhia toca, dizemos que viemos ver o que tava pegando e ela deixa a gente entrar.

Yue assume a culpe por ter matado o Japa. Nisso a mãe-deusa dela cola lá e fica enchendo que quem vai punir Yue é ela e que a gente num tem o direito de punir. Falamos que já que ela matou o japa e é filha de um deus também vai ter que assumir o lugar dele na missão até o reino das sombras. Yue topa. Vamos embora.

Mamãe de Yue enterra o corpo do japa no jardim. Depois o bicho levanta e sai andando. Fala bobagens na voz do advogado. Yue fatia o corpo e enterra de vez o cramunhão.

Passamos na casa de Johan, ele pega umas coisas e vamos pra casa de Izel. Lá, Johan meio perdido por não conseguir falar com Odin, resolve imitar o papai e sacrifica um olho, deixando que uma das gralhas o arranque. Nisso o mano começa a ter visões de Asgard e parradaria. Depois volta e começa a jorrar sangue. (hehehe Bem loko) Eu e Izel levamos o muleke pro hospital. Mas antes consertamos o fio do motor que foi roído por ratos (eee zica).

Agora falta o papagaio, a perna de pau e o gancho na mão.

Agora falta o papagaio, a perna de pau e o gancho na mão.

No hospital, consertam Johan, põe a rolha no buraco do olho e deixa ele lá de molho.

No mocó de Izel chamamos nosso titãs de bolso e informamos da zica toda. Dizemos do outro filho que tá sumido e dos outros. Diz que vai achar um, e que outro já pedalou também (Sven) e que outro (John) foi deportado.

É, tamo lascado…

Anúncios

3 comentários

  1. Esqueceu só um detalhe, que o japa que eu soquei no porta-malas estava nu enquanto eu fazia isso =[]
    hauheuhuahuhhuahea


  2. A é, esqueci desse detalhe sórdido. Minha mente deve ter bloqueado mesmo. eu hein…


  3. hahahaha nu, de roupa… faz diferença?

    .



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: