h1

“1º” sessão de Hunter: The Reckoning da Graci

27/03/2009

“1º” sessão de Hunter: The Reckoning da Graci

Mesa velha, parada há um tempão voltando a ativa, num sei que sessão exatamente estamos.

Nós somos caçadores novatos descobrindo toda a bagunça ainda. Eu tava como Dimas, um mindingo violeiro, o Hugo tava com um Hippie Junkie, o Tib de Padre estudioso, e o Cezar de playboy andarilho. É, num lembro o nome de ninguém. Tem mais gente na mesa mas faltaram. Dessa vez só meu pj tinha alguma experiência com esse lance da caçador.

Começamos com o Hippie sentindo um ventinho gelado estranho, começa a seguir o vento e vai parar na Paulista.

Enquanto toco violão pros meus cachorros de estimação, o Sarna e o Puto, vejo o Hippie passear avoado meio confuso. Colo nele pra checar começamos a trocar idéia, ele me passa uns troços alucinógenos e fazemos escambo com hippices.

O Playboy aparece, o Hippie segue o vento. Eu e o Playboy trocamos idéia, ele me dá uma esmola de 20 real. Uhuuu.

Eeeenquanto isso o Padre termina sua missa e volta pro quartinho. Ouve uma voz falando algo, responde e quando se vira pra procurar o dono da voz num tem ninguém. Ele procura pela igreja mas só tem um velho rezando. Deduz que deve estar no confecionário, então entra e checa, mas nada. Então sente o ventinho gelado misterioso também. Sai do confecionário e não vê ninguém. Vai lá fora checar.

Do nada meus cachorros começam a correr loucamente atrás do Hippie, eu e o Playboy seguimos. O Hippie pára na porta duma igreja, todos nos encontramos. O Hippie tá perdido dizendo que o vento sumiu ali, depois diz que tirou uma foto duma garota e uma placa dizia pra ajudá-la, mas depois era uma placa normal de novo. Mostra pra gente a foto no celular e vemos a placa dizendo pra ajudá-la também, depois a placa volta ao normal. Ficamos todos confusos, o Padre convida a gente pra descansar na igreja.

De repente aparece uma mulher correndo na rua fugindo de dois caras. A mulher segura a bolsa intensamente. Noto, com meu poderzinho, que o três estão mortos.

O Padre liga pra puliça e todos corremos atrás dos três.

O Hippie alcança um dos caras que perseguiam a mulher. Pega seu frasquinho de alcool e joga na cara do mano, fazendo ele parar e ficar urrando tentando limpar os olhos. Seguimos.

O Hippie taca o frasco vazio de alcool na cabeça do outro cara que toma em cheio, mas consegue agarrar a mina. Ela tropeça e cai, chegamos neles. O hippie fica discutindo com o cara mantendo ele distraído. O playboy ajuda a mina a levantar, enquanto eu, com meu poderzinho de escondeção, pego a bolsa dela e saio correndo imperceptível. Nisso o Padre chega no cara e fica pregando pra ele.

A mina não me acha, o Playboy finge que também não me viu, e a mina sai correndo proutro canto.

O cara que tomou o alcool nos olhos chega na bagunça. Os caras mostram as presas, vampiros malditos. O padre puxa a cruz e excomunga um que sai correndo. O outro começa a se arrepender dos pecados e o padre fica exorcizando o cara. O hippie fica tirando fotos dos vampiros.

Me escondo num canto e fuço na bolsa, encontro uma placa de argila com inscrições bizarras e umas anotações, aparentemente traduções da placa, que falava coisas meio bíblicas. O playboy me acha e voltamos pra igreja pra esperar o povo voltar.

O vampiro vai embora. O padre fala pro hippie não expor o que rolou lá. Ambos voltam pra igreja.

Todos na igreja, mostro a placa e anotações e o povo começa a investigar.

O hippie toma mais um alucinógeno e começa a falar com Bob, o gnomo. Bob diz que aquela placa é falsa e que a verdadeira vale muuuito e deve ter muita gente atras dela. O hippie passa isso pra gente, depois explica que fala com o gnomo, depois explica sobre os Gnomos. O padre manda as coisas pro vaticano.

Eu conto pra eles que existem os caçadores e se reunem no computador e temos que proteger o mundo e blablabla. Trocamos contatos e paramos aí.

%d bloggers like this: