h1

5º sessão da mesa de D&D du mal do Seiya.

25/04/2009

5º sessão da mesa de D&D du mal do Seiya.

Na verdade era pra ser a 6º né, mas eu faltei na última, e como só eu sou importante mesmo vou considerar como a 5º. Hunf…

Ainda na cidade onde paramos na outra sessão…

Nosso camarada Dragão de Sombras pega eu e Norian pra ensinar sobre as tralhas das magias das sombras. Ensina como moldar as sombras, passar coisas pelas sombras, e coisinhas assim. Um cachorrão de sombras aparece e gruda em Norian, depois ele se altera e fica parecendo um mastim, falante. Minha aparência muda, fico mais escurinho e posudo. Depois nos separamos.

Cachorrão das sombras.

Cachorrão das sombras.

Volto pro meu quarto e começo a checar o que tem nos livros que peguei na cripta do vampirão da última sessão. Muitas coisas sobre a igreja de Bane, a cidade e mapas. Num dos mapas há um ponto marcado sem explicações. Resolvo verificar. O ponto é na taverna que Acheron tinha se hospedado, a Rosa alguma-coisa. Chegou no banheiro e procuro a passagem, os dados não colaboram. Lá uma mulé brancona e bunita toma banho com suas servas. Noto ser a filha do vampirão, que havia morrido na outra sessão.

Num momento elas parecem notar minha presença (tava invisível). Uso o truque de manipular as sombras pra dar a idéia de que alguém passou pela porta, elas relaxam. Ficam falando amenidades por um tempo, depois a mulé expulsa as servas, sobrando só duas. As duas tiram a mulé da água e ela num tem pernas. Mexem num braço duma estátua e uma passagem se abre, sigo-as.

Andamos por um corredor, porém o caminho é diferente do que o mostrado no mapa, continuo as seguindo.

Norian vai passear pela cidade com seu cachorro, vê Acheron entrando no alfaiate (ui). Segue ele e o vê conversando com o povo lá dentro. Fica xeretando a conversa até tocar em algo e escutar um click. Se esconde, Acheron vai ver o que rola e encontra o cachorrão ali se lambendo, e um buraco de 1m na parede. Fala pra moça do alfaiate mas ela ignora. Acheron vai conversar com outra mina forjadora.

Acheron fca conversando com a forjadora gostosa, mostra o machadão querbado dele, ela mostra um monte de arma fodona, inclusive uma manopla (ou seria braçopla?) megafoda. Acheron faz uns acordos com ela, então um cara com asas aparece e Acheron faz acordos com ele também, algo a ver com forjaria.

Norian vê que a barra tá limpa e entra no buraco. Vai seguindo até que um faixo de luz passa por ela. Depois dum tempo de novo. Vê um buraco pra baixo beeem fundo. O cachorrão pula e chega lá embaixo de boa, ela pula em seguida. Encontra uma gradinha e um voz pedindo ajuda. a voz diz que pode recompensá-la se a ajudar, Norian arrebenta a grade e cai numa cela. Lá um humano preso por correntes. Aparentemente forte, mas bem desnutrido, e sem a pele em metade do rosto. Ela conversa com ele e o solta das correntes. O cara cai e começa a crescer, correntes cobrem o corpo dele, um demônio (ou diabo, sei lá). Ele começa a avançar pra Norian, ela vai se afastando e pedindo pra deixar ela em paz. Ele dá um murrão e a porta voa longe. Ela tenta correr mas o cara joga as correntes no pé dela e a derruba.

Nooo corredor escutamos um barulho de algo quebrando. Pernas começam a crescer na mulé sem pernas. As 3 vão investigar o barulho, as sigo. Vemos a porta da cela arrebentada e Norian sendo segura pelo capeta. Norian se debate e consegue derrubar o capeta. As mulé sem/com pernas começa a lançar um feitiço. Uso uma magia e mando as servas pra outro plano. Norian joga o capeta na direção da magia. O capeta cai de dor por causa do feitiço.

A mulé começa a lançar outro feitiço, identifico a magia e jogo uma proteção em Norian que desfere a espadada na safada e a pedala.

Eu e Norian continuamos seguindo pelo local, uma espécie de zoológico de criaturas bizonhas. Chegamos até uma escada, subimos e vemos 3 guardinhas mais adiante. Jogo uma magia que os bota pra dormir. Passamos, andamos mais um tempão e achamos uma saída pra trás do castelo mas ainda tinha continuação da dungeon. Seguimos mais e encontramos uma porta fodona e uma portinha. Ficamos checando a portona mas desencanamos dela temporariamente. Vamos pra portinha. Arrebentamos e entramos, um tipo de laboratório alquímico. uso detecção de magia e quase caio de tanta magia. Entramos, vou coletando as tralhas mágicas pra avaliar depois. Norian entra e usa seu Chakran que brilha na presença de magia e acha um baú. Fica lá checando ele.

RPG 1.01 - Um baú rende horas de investigação.

RPG 1.01 - Um baú rende horas de investigação.

Vejo uma espada bunitona na parede, pego-a e a desgramada ganha vida e começa a me atacar, um Mímico. Prende na minha mão mas consigo jogá-lo no chão. Invoco um elemental de fogo pra brigar com o bagulho. Uso uma magia de moldar terrar pra afundar o bicho no chão e o elemental termina o resto.

Norian ainda analisando o baú. Olho a fechadura e combina com a chave dourada que peguei das coisas do vampirão. Abrimos o baú e dentro tem um baúzinho dourado que também combina com a chave. Passo mal por causa de tanta magia mas passa logo. Abrimos o bauzinho e lá tem uma adaga de osso. Identifico a tranqueira como sendo relacionada a um lich megafodão. Noto uma magia de ilusão na tranqueira, tento desfazer e uma voz começa a falar conosco perguntando quem tava mexendo nas coisas dele. Ficamos de boa, Norian tenta devolver a adaga mas sua mão não obedece. A voz continua perguntando. Respondemos e tentamos ser amigáveis. hehe.

Então o bicho aparece, um Lichão mau humorado. Conversamos e ele nos libera. Só que puxa Norian pra uma conversinha mais particular. Aparentemente ele também é um seguidor de Shar, deusa que Norian segue.

Lich - Zica forte

Lich - Zica forte

Depois ele libera ela e voltamos pra fuçança.

Anúncios
%d bloggers like this: