h1

Mesa dos aspirantes de CdZ

29/05/2009

Mesa dos aspirantes de Cavaleiros do Zodíaco

Sei lá qual sessão estamos, o Tib mestrando e os Mestres Pjs cuidando de seus discípulos. Não sei muito do que rolou com os outros aspiras, sei que o Ian entrou em coma por atravessar um treino da Sati, a Lyn quase morreu treinando, Takeshi construiu um centro de treino pro mestre folgado dele e deu um passeio astral.

Começo chamando Folk e contando pra ele que terei mais discípulos em breve e que precisamos de uma casa nova pra esse povo já que a antiga foi explodida. Mando ele buscar madeira numa floresta num país vizinho.

Ele chega na floresta, vê quais árvores pegar afetando o mínimo as outras árvores. Vai até uma vila próxima e pede emprestado um carrinho pra carregar as toras. O véio empresta se Folk ajudá-lo com uns carregamentos. O véio leva Folk até a área com os troços que tem que carregar, Folk inicia um pequeno incêndio no mato pra atrair a atenção de todos, então ele rapidamente carrega o caminhão sem ninguém ver. Quando o véio volta minutos depois de ter apagado o incêndio se surpreende com o caminhão prontinho. Pergunta e Folk diz que foi ajudado por um bando de escoteiros que passou ali mas já foi embora. Hahaha. Voltam pra casa do véio, descarregam tudo, tomam uma limonada e o véio empresta um carrinho zuado.

Folk carrega as toras e corre pro Santuário. Vê quantas ainda precisa, pede pro seu mestre Aldebaran (eu) um carrinho mais adequado. Volta pra pegar mais, deixa o carrinho do véio e começa a coletar o resto das toras. Quando está carregando a terceira viajem vê que tem um ninho destroçado no chão, com ovos quebrados e um par de pássaros piando loucamente ali perto. Tem também um formigueiro estraçalhado e um bicho tipo gambá esmagado. Folk fica todo emo, enterra os resto dos bichinhos mortos e volta pro Santuário sem pegar o resto das árvores.

Folk na labuta

Folk na labuta

Conta pra Aldebaram o que rolou, Aldebaram conta que isso era parte do plano dele. Huhuhuhu. Aldebaram diz que isso foi pra que ele entendesse como as ações dos cavaleiros afetam o mundo ao nosso redor e como no nosso ímpeto de caçar e destruir o mal nós nos descuidamos e muitas vidas acabam arruinadas. Conta da vez que foi com mais outros cavaleiros evitar a saída de um grande capetão e duas cidades inteiras foram destruídas. Lhe diz que sempre deve ter em mente que esse mundo é frágil e que é nosso dever cuidar dele, espera que aquele evento permaneça com ele por toda sua vida e entenda a responsabilidade de um cavaleiro assim como toda desgraça que essa vida acarreta. Folk entende a lição e os dois começam a construir a casa.

Depois de terminada Aldebaram diz que como o seu discípulo mais antigo tem o dever de ajudar aqueles que vierem, pra ele lembrar de tudo que ele passou quando começou seu treino e entender as dificuldades. O lembra de Dan, discípulo de Aldebaram que estava ali antes de Folk e acabou morrendo de forma escrota por bobagem, e assim como Dan Folk terá de cuidar dos novos discípulos. Decoram a casa com tralhas indígenas e Folk volta pro treino.

Num momento Claude ex-leão aparece pedindo que Aldebaram lhe empreste seu touro por um momento (é, Aldebaram tem um touro). Aldebaram libera mas que Claude ganhe a confiança do bicho. Folk então vê que Aldebaram agacha e começa a cantar baixinho e socar de leve o chão. Vê que Claude vira uma quimera, criatura meio leão-bode-dragão, e fica encarando o touro. Os dois bichos ficam se encarando por momentos, Folk nota toda a mística áurica ao redor de todo mundo. Claude ganha na moral e leva o touro, sei lá pra quê.

Mais tarde, Aldebaram e Ken conversam quando Lucas (Pj do Seiya) aparece. Os dois crescem em cima de Lucas e dizem que enquanto o mestre de Lucas, Nalbert de Coruja, estiver fora Aldebaram o ajudará nos treinos. Lucas pergunta de seu mestre mas Os dois não dizem algo útil. Aldebaram põe Lucas na casa e conversa amenidades com ele, então partem pro treino.

Aldebaram põe Lucas pra treinar na pista dos iniciantes, a tal cama-de-gato de arame farpado. Lucas vai fazendo as paradas até que fica putão e arrebenta tudo com o cosmo do ódio. Fica todo arranhado e exausto, Aldebaram lhe explica que desse jeito ele só vai se fuder e que ele deve deixar isso pra trás logo antes que morra. Manda-o consertar a pista, pois ele deve ser responsável por toda a destruição que causar e tentar reparar os estragos sempre que possível, só que o lembra que uma vida perdida não pode ser trazida de volta, a pista pode ser arrumada mas da próxima vez ele pode não ter tanta sorte.

Lucas tem uma percepção especial do espaço ao seu redor, então Aldebaram o manda andar sempre com seus olhos, ouvidos e nariz tampados para que torne essa percepção o mais aguçada possível. Fica treinando combate com ele num terreno cheio de pedras, lhe diz que não podem tocar no chão, apenas nas pedras. Conforme eles lutam Aldebaram espalha as pedras alterando o campo a cada movimento, forçando Lucas a ficar atento sempre ao terreno. Depois de muito treino num momento em que Lucas ia cair uma pedra sai de dentro do chão e aparece pra que ele se segure.

Depois dum tempo Aldebaram junta Lucas e Folk e diz para lutarem. Diz pra Folk que isso pode ajudar a ele conter seus golpes e Lucas pode ver melhor como é alguém mais próximo do nível dele. Os dois começam, Lucas se emputece e parte pra cima loucamente com cosmo do ódio. Folk só desfere um murrão que dobra Lucas quebrando umas costelas e o nocauteia. Folk o leva pra enfermaria enquanto Aldebaram só olha decepcionado pros dois.

Folk volta pro treino, só que agora ele adota a tática da venda e começa a andar com os olhos cobertos tentando sentir as coisas ao seu redor através do calor. Aldebaram lhe diz pra continuar seu treino de controle de calor. Manda ele congelar um galão de água e depois além de mantê-lo congelado deve moldá-lo conforme seu coração mandar. Folk tenta mas acaba estragando tudo, depois de umas tentativas consegue. Nota que seu cosmo moldou um pássaro todo encolhido. Mostra pra Aldebaram, que só vê um troço de gelo disforme. Folk lhe guia e Aldebaram vê a similaridade.

Folk pede que Aldebaram lhe ensine como tornar-se mais forte pois estava cansado de abaixar a orelha pra todo mundo. Aldebaram lhe trás um balde de cola, penas, purpurina, acessórios escrotos genéricos e lhe diz que não vai mandar ele fazer isso mas um jeito é Folk se cobrir com aquelas tralhas e ser zuado até a morte. Lhe diz que ele será aloprado o tempo todo, ninguém lhe dará atenção e isso pode lhe assombrar por resto da vida. Diz que se chegar um momento que as zombarias não lhe afetarem mais e as pessoas lhe ouvirem mesmo vestido assim então ele terá superado esse problema. Mas diz que que ele o faça por vontade própria. Folk sem hesitar se cobre com a coisa toda. Rindo Aldebaram lhe diz que também não vai mandar que ele tire aquilo, que ele só deve tirar quando falhar ou tiver sucesso, que vai ficar a cargo dele mesmo e que deve convencer a si mesmo, não os outros. Enquanto Aldebaram deixa Folk faz umas piadinhas com ele. Como esperado, Folk é zuado onde passa o tempo todo.

Lucas acorda, tomas uns esporros e volta a treinar. Vai pra pista e começa. Aldebaram lhe passa outro exercício. Toca uns sinos fora da pista e Lucas deve repetir as seqüências. Depois deixa uns pivetes tocando os sinos pra deixar tudo aleatório e bem difícil. Lucas fica um tempão fazendo isso. Depois vem perguntar sobre lutas. Pede pra Aldebaram lhe ensinar Artes Marciais. Aldebaram faz um discurso Zen-Jedi sobre as artes marciais limitarem os cavaleiros e que Lucas deve achar sua própria forma de combate e treiná-la ao limite. Lucas começa a se estudar pra achar sua arte marcial.

Folk vai treinar seu controle de calor, tenta expelir frio assim como faz com calor, fica meses nisso mas num dá em nada. Num belo dia tem um sonho com aquela mina que visitou ele na caverna de gelo (lembra?). A mina diz sobre ele estar tentando se livrar dela e explica como ele faz pra controlar seu poder, que ele usa as suas próprias emoções pra explodir seu cosmo e que para fazer o que ele quer ele teria que se ligar a outras emoções e isso tiraria o controle que ele tem agora. Folk finalmente entende e acorda com alguém mijando nele.

Aldebaram manda que Lucas faça uma marca em seu corpo toda vez que perder o controle, para que ele sempre se lembre dos eventos e lhe ajude a se controlar. Leva Lucas pra meditar, pra que Lucas consiga se desvencilhar do cosmo do ódio. Lucas tenta mas é sempre distraído pela sua própria percepção espacial então Aldebaram o leva pra floresta, põe uma madeira numa pedra pontuda e senta Lucas lá. Diz que ele deve se concentrar mesmo na presença do ambiente, deve levar sua percepção para dentro de si e então expandi-la para o ambiente, só assim ele terá total noção de seu corpo e mente e o cosmo do ódio não mais se esconderá nele. Luca fica tentando mas não consegue, depois de muito tentar ele se enfeza e sai destruindo tudo. Volta a si e vê que destruiu um formigueiro. Como seu mestre mandou tenta consertá-lo com a madeira mas acaba matando mais formigas, então tenta com as mão, e começa a ser atacado ferozmente pelas formiguinhas. Tenta resistir a dor, tenta se desligar da dor expandindo sua percepção pra outro canto, mas nota que isso foi exatamente o contrário que seu mestre lhe disse pra fazer e o cosmo do ódio lhe toma de novo.

Folk está treinando, tendo seu saco enchido pelos pivetes zombeteiros quando Lucas aparece lokão vindo pra cima dele com uma pedra. Folk se prepara, tenta falar com Lucas mas vê que ele está sem controle, então congela o braço de Lucas, fazendo o cair de dor gritando. Então o nocauteia.

Dias depois, quando Lucas acorda sem saber o que aconteceu faz mais uma marquinha em seu braço. Folk o encontra e leva ele pra conversar. Começa a lhe contar de toda zica que já lhe aconteceu por perder o controle e blablabla, Lucas não dá muita atenção afinal Folk está vestido como um galinhão. Folk se esforça mas num tem muito resultado. Então começa a treinar lutinha com Lucas. Lucas se move e Folk fica o imitando, chega uma hora que Lucas se enfeza mas segura. Resolve pular acrobaticamente pra confundir Folk e atacá-lo de surpresa. Começa a pular só que todo o ambiente começa a reagir para ajudá-lo, Folk fica perdidinho. Lucas ataca mas Folk vê e devolve o ataque, só pra acertá-lo sem causar dano. Folk acerta e nota que Lucas segurou o golpe dele pra não acerta Folk. Param a luta e voltam a conversar. Então uns pivetes aparecem pra encher o saco, Folk fica putão mas desencana, a mulekada parte pra cima de Folk mas ele não reage. Depois de tomar vários croques e bicudinhas os mulekes cansam e deixam Folk. Ele e Lucas voltam a conversar e Folk diz que vai ajudá-lo no que puder.

Depois de muito treino Folk e Lucas vão até o coliseu ver as lutas aleatórias que rolam lá. Pessoas aleatórias ficam brigando, inclusive uns Pjs, Folk fica testando sua percepção térmica e Lucas fica analisando as formas de lutas dos caras. Certo momento a torcida invade o ringue, Folk segura Lucas. Depois da luta voltam pra casinha. Aldebaram tromba Folk, lhe diz umas emices e que quando Folk se achar pronto poderá fazer um teste para se tornar cavaleiro.

Anúncios
%d bloggers like this: