h1

4º sessão de Scion do Angelo

06/06/2009

4º sessão de Scion do Angelo

Sem Lara e Kauê dessa vez.

Começa comigo sendo levado até o tal monolito que ia checar minha situação. Sou amarrado com correntes numa pedrona que diz que eu que tinha que entregar os tridentinhos pois era da minha fé. Digo que me deixarem eu reúno o povo de volta e faço o troço direito, a pedrona topa.

Apareço ainda acorrentado numa lápide de volta ao cemitério. Um líquido verde gosmento começa a escorrer pela lápide, uma gota toca em mim e queima minha pele. Escuto uma voz falando abobrinhas, deduzo ser o Mikaboshi. Faço umas macaquices e consigo quebrar a corrente. Saio correndo procurando o povo.

Mikaboshi safadão

Mikaboshi safadão

Izel caminha pelo mato com papai, ele diz que o povo tá indo pra lugares errados e que esse é o certo. Pega sua faquinha rasga o próprio peito, e com o sangue jorrante faz uma trilha pelo céu. Izel começa a seguir a trilha.

JFK está na luz fofinha e começa a ser envolvido pela escuridão tinhosa, ouve a tal voz Mikabóshica também.

Hadinho também começa a ser envolto pela escuridão.

Na minha caça eu me concentro nos tridentes que tão com o povo e noto um pontinho dourado ao longe. Izel me vê correndo pra lá e me chama, escuto mas não a vejo. Deduzo estarmos em diferentes fases ou níveis então pego os outros tridentes que estão comigo e tento conectar todos numa freqüência só, trazendo todos pro nível que eu tô. JFK se sente puxado pra cima sendo tirado da sombra. Izel sente o puxão pra baixo mas resiste por que sabe que tá no lugar certo. Já o puto do Hadinho tenta resistir e acaba sobrecarregando minha mente ma fazendo perder a noção de onde tá o resto do povo, só tenho a noção exata de onde tá o puto. Corro pra onde ele tá e encontro o coveiro maluquinho que abriu a passagem dele. O cara abre a passagem pra mim e mergulho. No caminho sou seguro por mão frias, dou uma carteirada e me soltam. Voando pego o Hadinho e arranco ele das sombras. Pego o tridente dele e tento conectar novamente só que dessa vez pro plano que a Izel tá. Nos juntamos na trilha de sangue, sem sinal de Johan ou Yue, seguimos.

A trilha nos leva até um templo que cada um vê como algo de sua fé. O templo tá caindo aos pedaços, nós pousamos no teto e vamos descendo. Numa sala toda arrebentada encontramos Yue caída. A acordamos e fazemos ela pegar no tranco.  Vamos descendo e noutra sala com um monte de cadáveres duma luta foda está nosso caro Johan tooodo arrebentado. Izel e Hadinho ficam tentando consertar o coitado. Hadinho chama papai que aparece todo poser. Hades faz uma cura em Johan, e entrega um dedo de osso pra Hadinho, fala umas bobagens e some. Vamos levando Johan até que noutra sala também toda zuada encontramos o PM filho de Anúbis caído (ex-PJ do Junior), acordamos o puto e arrastamos ele com a gente. Noutra sala trombamos o Sven (PJ do Fay), o acordamos e levamos junto.

Chegamos num poço de escuridããão, JFK tenta iluminar mas nada. Pulamos, a queda é suave como se a escuridão fosse bem densa. Aterrisamos num lugar totalmente escurão, não vemos nada. Nos reunimos e vamos seguindo em fila indiana. Ouvimos alguém mais aterrisando. Nos preparamos pra porrada mas uma voz diz que agora pode nos acompanhar. Erebus, nosso titã camarada. Ele nos guia até a porta onde devemos colocar os tridentes. Chegando lá vemos que os buracos são bem maiores que a chaves, temos que fazer o trocinho crescer antes. Hadinho quebra seu dedo de osso e aparecem cinco espartanos caveirísticos que começam a tretar com todos. Yue, Sven, Joham e o PM partem pra porrada com os espartanos. Pego um tridente e me espeto deixando sangue cobrir o troço, provando minha linhagem de Xangô, o bagulho cresce. PLIM! Entrego os outros tridentes e digo pra provarem suas heranças. JFK por reflexo pega o garfo e o usa pra ajeitar o cabelo, a vaidade de Afrodite faz crescer qualquer coisa né. Izel se espeta também, sacrifício de sangue de Tezcatlipoca. Hadinho espeta o troço num dos espartanos, coisas mortas de Hades. Yue faz uma prece japa pra Amaterasu. Johan, Sven e o PM não sabem o que fazer. Faço um discursinho inspirador eles fazem os tridentes crescerem, o PM com um papinho de justiça e Johan não lembro como. Alguém adiciona nos comentários aí.

Colocamos os tridentes, o portão abre, Erebus nos deixa, vamos seguindo nos reino da escuridããão. Ouvimos a voz de Mikaboshi nos pentelhando de novo falando que tá em todo canto e as sombras são vivas ali. JFK resolve brilhar e toma uns trancos dumas sombras. Vamos andando e logo aparecem umas minas zumbis pra nos encher. Partimos pra porrada e acabamos com as zumbis. O pobrema é que não sabemos pra onde ir, só que fica a Sudeste, segundo Hades (ou era Erebus?). Uso meu poder de detectar crimes e culpa e talz pra nos direcionar até a prisão de Erebus. Vamos seguindo.

Chegamos num castelão enooorme. Tentamos contorná-lo mas num adianta. Voando vou lá checar mais perto. O castelo tá flutuando e embaixo dele tem uma queda d água brutona, na única janela eu vejo que tem uma pessoa. Passo pra galera e decidimos falar com o cidadão. Chego lá e chamo-o, um tiozinho aparece, falo nosso lance e que precisamos passar pelo castelo pra seguir, ele diz que é irmão de Erebus e deixa a gente descansar ali antes de prosseguir. Ele dá um brilhão e ilumina nosso caminho. Todos entramos no castelo e vamos descansar. Uns ficam na biblioteca outros vão cochilar. Ficamos pesquisando sobre Mikaboshi, Erebus, titãs, deuses, e essas coisas.

Nosso pit stop

Nosso pit stop

Izel sugere que nos separemos mas o povo num curte. Ela se revolta e sai passeando pelo castelo. Encontra uma porta estranha e pergunta pro titã o que rola ali, ele diz que tem muito conhecimento ali mas é foda de conseguir e voltar, ela pede pra ele abrir a porta e entra. (Aiai…) Ela vai parar numa nevasca fudida e chega até uma caverna, encontra um mega gigante de gelo num trono. Escala o cidadão e tenta falar com ele. O sorvetão, o titã Typhon, nem liga e manda ela embora. Ela sai de volta pra nevasca e tenta achar a saída mas num acha.

Na biblioteca sentimos as coisas sacudirem quando a tal porta é aberta. Hadinho e JFK vão checar, trombam o titã que explica de novo a parada e Hadinho resolve entrar. Vai parar na nevasca, tromba o sorvetão, discute com o tal mas não dá em nada. Volta pra nevasca, tromba Izel, conversam e num chegam a lugar algum. Hadinho volta pro sorvetão e tenta enfezá-lo mas num consegue nada também.

o titã Typhon

o titã Typhon

O resto do povo se reúne e JFK resolve levar todo mundo pra lá também. Muita discussão, uns querem entrar, outros como eu não querem. De qualquer forma tive que ir embora. Se rolou mais algo fazfavô de adicionar aí.

One comment

  1. Não rolou mais nada. Paramos por aí mesmo. Izel subindo a montanha porque acredita que o sacrifício da tarefa – e não a tarefa em si – vai tirá-la de lá. Louca XDD



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: