h1

3º sessão de D&D do Danizinho

10/06/2009

3º sessão de D&D do Danizinho

 Nessa o Leo num tava, então um Ranger no modo automático. O Leandro entrou com um sorcerer.

 Bem, depois de horas testando as tralhas que pegamos na última sessão descobrimos que uns itens são mágicos, o monge pega uma lança, o clérigo uma espadona, o ranger uma cimitarra, eu um escudo e um anel de andar na água, pegamos uns pergaminhos também. Voltamos pra torre da Maga Patalógica entregar o tal cetro fodão, compramos mais umas tralhas mágicas, vendemos o lixo e partimos pra outra missão, pegar um ovo de Grifo numas montanhas.

 Chegando próximo a montanha vemos uma cidade que não deveria estar lá, de acordo com nosso maguinho de estimação aquela cidade havia sido destruída anos atrás. Chegamos todos posers na cidade, um com um leão, eu com montes de aranhas, somos interceptados pelos guardinhas. Já botamos moral neles, eles dizem que tá rolando um festival pro deus Grifo, seguimos pra taverna.

 Pedimos o rango, deixo minhas aranhas caçarem os ratos pela taverna. O sorcerer e seu amigo monge NPC nos aborda, trocamos palavrinhas e o sorcerer paga uma rodada de cerveja anã pra gente. O sorcerer diz que também tá indo pras montanhas investigar sei-lá-o-que e pede pra entrar no grupo, beleza. Umas aranhas aparecem trazendo um ratão, me oferecem a primeira mordida, arranco a cabeça do rato na dentada, o povo acha meio nojentinho. hehehe As vezes vaza umas nosferatices né…

 Descobrimos que a cidade vai oferecer uns cavalos como sacrifício pro deus Grifo, decidimos invadir a montanha durante a festinha. Depois de esperar o momento vamos pra montanha. Uns grifos notam a gente, corremos pra dentro das cavernas. Vamos seguindo, nosso monge npc some, achamos um altar rústico, provavelmente dos Gnolls que dizem morar por ali. Vamos seguindo e achamos uma grande câmara cheia de estalagmites. Notamos uns barulhos e nosso monge já diz que a pancadaria vai começar.

 Brotam uns Gnolls sentando flechada na gente. O monge toma umas, o clérigo boceja, eu espalho minhas aranhas e me escondo pra pegar por trás, o sorcerer joga uns feitiços aleatórios. O ranger e o mago ficaram na cidade. Arrebentamos os gnolls, o monge fica uns três dias pra conseguir matar sua cota né mas consegue. Até arranjo umas flechas envenenadas dos gnolls. Claro que nosso monge fica envenenado de novo. Seguimos.

Gnolls - Saquinhos de XP

Gnolls - Saquinhos de XP

 Passamos por um corredorzinho, tomamos umas flechinhas de armadilhas, achamos uma outra grande câmara. Nessa tem um montão de cadáveres variados e apodrecentes. Uns buraquinhos na parede e um buracão no teto. Deduzimos ser a entrada dos grifo e os restos da comida deles. Vou checar o além do buracão, tento subir por uma corda mas alguém corta a corda com uma flechada, não achamos o culpado, o sorcerer me deixa invisível e uso minha poção de pulo. Lá em cima vejo uns grifos morgando e três ovos. Logo aparecem mais grifos e um sendo bem maior, eles trazem cavalos, o grandão diz pros outros se deliciarem e todos vão comer, menos o grandão que fica cuidando dos ovos.

Grifo - Galinhão metido a besta

Grifo - Galinhão metido a besta

 Lá em baixo o povo começa a tomar flechadas. Arrumam cobertura e ficam procurando o flechador, mas não acham nada. O monge npc aparece novamente, toma uma bela flechada. Continuam procurando.

 Eu armo meu plano com as aranhas. Metade delas jogam teia na cara do grifão, cegando ele e o assustando, quando ele levantar pra tretar as outras puxam os ovos com as teias. Firmão. Elas jogam as teias mas num cobrem muitos, o bichão levanta, dá a fita pros outros grifos que já se eriçam, as aranhas conseguem puxar dois ovos, pego-os e pulo da montanha, invisível com meu anel de Queda Suave. HÁ! As aranhas se enfiam nos buraquinhos pra fugir.

 Lá embaixo o povo escuta o estardalhaço lá de cima, o monge até quer ver o que tá pegando mas todos saem correndo de volta pra cidade. A grifaiada toda sai caçando quem roubou os ovos. Me escondo num canto e deixo passarem. Os grifos pra cidade pra matar todo mundo se num devolverem os ovos.

 O clérigo e o mago invocam umas águias gigantes e se preparam pra treta com os grifos. Na cidade os grifos ordenam que lhes devolvam os ovos mas ninguém faz idéia do que tá acontecendo. É, eu causo isso as vezes… Dão uma hora pra devolverem antes de matarem todos na cidade. Os manos na águia atacam o grifo grandão e o atraem pro alto. Ficam tretando com ele lá em cima. O monge, o maguinho, o ranger e o leão, e os guardinhas tretam com os que sobraram. Eu volto pra montanha pra pegar um bauzão que tinha lá no ninho dos grifos.

Todos cantando o tema de Top Gun

Todos cantando o tema de Top Gun

 Chego na câmara dos cadáveres e sou recebido pelas flechas misteriosas. Tzk Tzk. Espalho minhas aranhas pelos buraquinhos nas paredes pra acharem o corno que tá me atacando, fico atraindo fogo dele pra que ele se mova e dê sua posição. Acho ele, as aranhas tacam muitas teias nele enquanto eu sento várias flechadas no corno. Pego várias coisinhas legais do cadáver dele e vou pro ninho.

Não leve uma espada numa briga de arcos. hehehe

Não leve uma espada numa briga de arcos. hehehe

 Os manos acabam com os grifos, o grandão deu um puta trabalho mas foi abatido, a cidade ficou bem feliz pelos grifos tiranos serem pedalados.

 Lá no ninho, dois grifos cuidando do ovo que sobrou. Prendo eles com magia, as aranhas tacam teia nos bicos pra eles não pedirem ajuda e metralho os coitados. Pego muitas coisinhas legais no baú. Inclusive um ídolo de ouro que o monge npc tanto quer mas a gente não sabe, e um martelo que ele prometeu recuperar, mas a gente também não sabe. Perdeu, preiboy!

 O sorcerer manda sua águia me avisar pra encontrá-los no caminho pra torre da maga patalógica e pra eu num aparecer na cidade de jeito nenhum. Todos seguem pro encontro.

 Temos um estoque enorme de penas de grifo pra vender agora. hehehe

One comment

  1. Imagens legais



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: