h1

3º sessão de Changeling: The Lost da Laura

17/07/2009

3º sessão de Changeling: The Lost da Laura

Bem, eu faltei na última sessão. O que rolou foi que o mapa que o grupo tava seguindo na verdade era uma furada que só servia pra gente perder tempo e rodar pela Terra do Nunca pra desenvolver cada vez mais nosso lado fadinha. Descobriram que a maneira de voltar pra casa era voltando pro começo, ou seja, o castelo do maldito Peter Pan. O grupo descolou um barco e foi, parou numa vila pra fazer uns reparos.

Nosso camarada Zéfiro, um feral zebra, diz que precisa duma linha pra consertar a vela do barco e que lá pra frente nas pedras da praia uma mulher vende, junta a galera e vai lá comprar a linha. Eu fico no barco consertando coisas. O grupo chega nas pedras, uma caverninha, notam alguém lá dentro, entram lentamente e uma velha os atende. Ela fica os chamando pra dentro, mas o grupo reluta, ela diz que dará a linha se levarem o dinheiro até a mão dela, Ricardo, o feral Leão, dá a grana. A velha começa a tecer a linha e cantar, Ricardo fica meio abobado e começa a ser atraído pra velha que gruda nele e começa a sugar seu Glamour. Toda galera entra na treta até que pedalam a velha e pegam a linha.

Avisto um grande barco passando no horizonte, corro e boto o pânico em todo mundo, voltamos correndo, arrumamos o barco e quando estamos prontos pra partir aparece um bando de macaquinhos pentelhando próximo do barco. Ricardo os intimida e nosso ogro via pra cima deles. Os macaquinhos ficam amedrontados. Lá longe vemos uma menina meio macaca pulando e falando com os macaquinhos, reconheço Amélia. Vou até lá, o ogro mata um macaco e Amélia fica fula, tenta socar ele mas num rola, convenço ela a voltar pra casa com a gente e ela vem. Todos sobem no barco que já se movimentava menos eu que fico pendurado na borda. Amélia e os outros tentam me puxar mas o movimento e a água (os dados) dificultam. Então sou abocanhado por algo que deixa a tarefa cada vez mais difícil. Conseguem me puxar um pouco e vemos que tem uma ostra gigante me abocanhando, os manos sentam porrada nela e ela solta. Viajamos…

Chegamos até o castelo, uma puta neblina bloqueando tudo, pensamos no que fazer pra entrar no castelo e o Zéfiro propõe dele nos levar como prisioneiros e lá dentro soltar a gente. Obviamente não gostamos do plano mas acaba sendo a melhor opção. Somos levados até a maldita Wendy e o Zéfiro nos vende (fiodapuuuta!) cada um arrastado pra um canto.

Me jogam dentro de um cubo de vidro, tipo uma tupperware,  no meio duma biblioteca enoooooorme e colam uma etiqueta escrita “experiência 137” no vidro. Tento sair mas logo aparece a vaca da Wendy com seu troninho e uns góblins que me prendem e nocauteiam. Acordo numa mesa de cirurgia com os góblins me abrindo e fuçando, me botam pra dormir de novo. Acordo de volta no vidro, todo costurado. Tento chacoalhar o vidro mas minha poderosa compleição atlética não ajuda muito. Logo ouço outro barulho ali perto, outro mano do grupo que também tava nesse tipo de jaula. Resolvo analisar a jaula e vejo que é tudo colado e a tampa deve ser mais frágil. Subo e quando vou começar a balançar aparece o outro mano que tava preso e  me solta, diz que foi solto por Zéfiro. Corremos pra encontrar o resto do povo.

Amélia está presa numa gaiola vestida com um tutu rosa de bailarina, tenta se soltar mas não consegue. Depois aparece um mala com um chicote e tenta forçá-la a usar o tutu mas ela se recusa e toma umas chicotadas. Acorda com o tutu bem preso e na frente duma platéia. O apresentador fala com a platéia e todos riem, logo outra gaiola menor chega e tem um macaquinho com tutu preso, uma musica toca e ele dança mecanicamente. Amélia fica hipnotizada e dança também sem controle. Quando é guardada de volta no quartinho escuro ouve o chamado do Ricardo Leão, retorna o chamado com macaquices, alguém (num vi quem) solta ela e ela encontra o resto.

Isso sim é tortura.

Isso sim é tortura.

Todos corremos prum graaaande buraco no chão, todos pulam, eu tento escalar (sim, personagem muuuuito cuzão), tomo um tiro e caio. No fundo uma fonte, todos mergulham e saímos num matagal pelados. Vemos duas minas passeando, uma delas muito bêbada. Trazemos a mina pra nós, conversamos e ela revela também ser como nós, meio fadinhas, então nos ajuda com roupas e hospedagens em troca de histórias de Arcádia.

Próxima sessão: The boys are back in town..

Anúncios
%d bloggers like this: