h1

4º sessão da minha mesa de D&D

21/08/2009

Só pra atualizar, o nome do Paladino do Dib é Askin.

Depois de espancar os pobres mosquitinhos nossos heróis adentram o covil. O lugar tinha a estrutura de um formigueiro, com túneis pra todo lado e de tamanhos variados, um zumbidão ensurdecedor ecoa pelos túneis. Sem saber por onde ir perguntam pra Lutia, mas ela só diz que tem que ir pra baixo, aponta um dos túneis, a galera corre. Meriadoc joga uma magia de luz na marreta do Askin e ele segue pelo buraco. Lutia os vai guiando, depois de um tempo o povo num faz idéia de onde tá de tanta curva e volta que Lutia indica.

Essa é a Lutia. Num sei você, mas eu a seguiria por aí...

Essa é a Lutia. Num sei você, mas eu a seguiria por aí...

Até que chegam numa grande via onde vários daqueles insetões passam carregando pedras, corpos e tralhas diversas. Lutia diz que o caminho continua do outro lado da via, através dum buraco no alto. O povo estuda as opções e decidem se tarzanear até o buraco. Meriadoc se transforma num elfo alado, pega Lutia e voa até o buraco. Dort e Loren prendem suas cordas numas raízes no teto e se balançam até o buraco. Loren chega de boa, mas Dort cai na via, mas não é percebido pelos insetões. Meriadoc faz uma mão magica e leva a corda pro Askin. Ele tenta se balançar mas cai perto de Dort, só que dessa vez os bichos os percebem. Eles começam a amontoar pra cima de Dort e Askin. Meriadoc rapidamente usa uma magia de corda e os dois sobem rapidão antes de serem pegos pelos bichos. Voltam a correr pelos túneis.
swing__swing_by_the_ace_chefMais curvas e curvas até que num corredor eles vêem aqueles mosquitões vindo de encontro a eles. Os porradeiros avançam e começa a pancadaria. Enquanto eles estão entretidos mais bichos chegam pela retaguarda. Meriadoc prende um com uma magia de teia mas os outros continuam vindo. Ele manda Lutia jogar uma tocha neles pois a teia era inflamável. Lutia fica acendendo a tocha, os bichos se aproximam e acertam Meriadoc, Lutia taca a tocha neles eu tomam um foguinhos. Na outra frente o povo massacra os marimbondos, num momento Loren dá um golpe tão forte que sua espada mágica de gelo cria uma tela de fios de gelo no formato da flor que apareceu tatuada em Loren no ritual de Venize (lembra?). Lutia vendo Meriadoc com problemas taca uma pedra na cabeça dum dos bichos que o atacavam, logo os porradeiros pegam esse lado também e arrebentam todos. Askin até tenta pegar umas das montarias aladas dos caras mas o bicho se revolta, então Askin termina o serviço. Bora andar denovo.

Só esquentando...

Só esquentando...

Mais andação e eles chegam numa câmara com túneis por todos lados e vêem insetões vindo por todos eles, um montão mesmo. Resolvem correr por um dos túneis que tem menos bichos enquanto Askin vai tomando bordoada dos perseguidores. Vão correndo, a armadura de Askino protege dos ataques dos bichos raivosos até que os bichos da frente chegam, mais porrada. Então de repente o chão começa a abrir. Um buraco começa a sair da parte de baixo de uma das paredes e expande pelo chão, só que o buraco continua andando, como se fosse vivo. Sem muito pra onde fugir todos vão pro buraco. Dort e Loren dão suas piruetas e conseguem cair de boa, Meriadoc pega Lutia e desce planando por ainda estar transformado no elfo alado. Askin agarra um dos insetões voadores e o puxa pro buraco. Askin aterrisa de boa mas o bicho voa de volta pra cima. Então o teto do buraco se fecha. Todos sentem que o chão está se movendo. A marreta iluminada de Askin mostra que as paredes, teto e chão do lugar onde caíram é todo pontudo, cheio de estacas, estalagtites e coisas assim bem afiadas e torcidas, mas aparentemente naturais. Num canto um brilho magentão chama a atenção e nossos heróis vem um bicho estranho.

É, eu gosto de bizarrices.

É, eu gosto de bizarrices.

Meriadoc deduz se tratar de uma criatura extraplanar ligada a criaturas malignas, e parecia uma criatura misturada, talvez com aqueles monstros gelatinosos. O bicho olha pra eles em silêncio total, os desenhos de seu corpo se movem no mesmo ritmo das paredes e estacas, ele começa a caminhar na direção deles, visivelmente interessado em Askin. Conforme o bicho anda todos notam que ele passa pelas estacas que não fazem nada nele, como se seu corpo fosse de borracha lisa. O buraco, ou bolha dentro da terra, continua se movendo. Os porradeiros vão pra pancadaria, mas o chão é muito instável e se machucam a cada passo. Askin desce uma marretada sagrada nervosa que chacoalha o bicho. Dort e Loren atacam, mas as adagas de dort parecem não afetá-lo pois sua pele estica e a lâmina não o perfura, o mesmo com as espadas de Loren, exceto o efeito mágico de gelo que parece afetá-lo normalmente. Meriadoc dispara um raio de fogo no bicho que o manda pra trás e quando a fumacinha passa o bicho tem uma queimadura no formato da flor tatuada em Meriadoc. Lá vai mais do orçamento em efeito especial… O bicho vem pra cima e agarra Loren, a abraçando, Askin usa uma magia onde tira uns pontos de vida dele mesmo pra ganhar mais pudê de porrada e desce a marretada no cabra, uma bela explosão de luz quentinha e quando todos voltam a enxergar vêem só a pele do bicho espetada nas estacas e umas gosma pelo chão. Umas pedrinhas preciosas e moedinhas caem de dentro do bicho mais uns pedaços de armas e armaduras todos corroídos. Loren também tá meio capotada. Lutia puxa umas poções dadas pela Venize e cura um pouco o povo.

Lutia diz que com o movimento da “caverna” eles foram desviados bastante de seu caminho. Perguntam pra ela e ela indica a direção onde estaria Kromlek, o cara que eles vieram resgatar (lembra?) O povo analisa as opções e Meriadoc acaba invocando um elementalzinho da terra pra cavar até Kromlek.
diglet-39542O bicho cava um pouco mas logo se esvai. Eles continuam cavando seguindo as indicações de Lutia até que um tempão depois chegam a luz. Vêem a saída da caverna e um cheirinho de água. Uns insetões carregadores passeiam por lá mas não notam eles passando. Chegam lá fora e vêem o bicho que já haviam visto em seus sonhos, a Hidra.

Musiquinha de chefe da fase.

Musiquinha de chefe da fase.

O povo discute, deduz que não podem derrotar o bicho nas atuais condições, machucados e sem magia, então arrumar um cantinho seguro e descansam. Meriadoc e Askin dormem para recuperar suas magias enquanto Loren e Dort vigiam as coisas. Vêem que a hidra fica calminha no lagão e que passado o lago há uma caverna. Uma silhueta perambula por lá, mas já volta pra dentro. O lago fica na base dumas paredonas da montanha, tipo um abismo, e lá em cima uns insetões passeiam. Então coisas são arremessadas lá em cima dum lado para outro do abismo, aqueles que não entram nos buracos do outro lado caem na água e a Hidra devora. Quando os dois dorminhocos acordam e recuperam suas magias Meriadoc vê que o terreno lá tem marcas estranhas de erosão, típicas das feitas por ácido.

Discutem sobre como vão passar pela Hidra quando Askin se enfeza e vai andando na direção da bicha chamando ela pro pau. Três cabeças vão pra cima e começa a pancadaria. Dort e Loren logo entram no bolo. Meriadoc usa uma magia pra aumentar o tamanho de Askin. Muitas porradas depois umas cabeças já pedalaram, a Hidra dispara um jato de ácido em Askin mas ele se protege com seu escudo mágico. Meriadoc dispara seu raião de fogo de novo causando um belo estrago. Loren e Dort usam uma das cabeças mortas pra correr e chegar até o corpo da bicha, mas a Hidra de move e derruba os dois na água, vêem muitas coisinhas brilhantes no chão do lago, junto com muitos cadáveres. Então ela dá um impulso e desce com tudo na água causando uma puta onda que manda todo mundo na parede, Askin capota, mas Lutia o acorda com outra poção de cura. A Hidra se recolhe já bem ferida e fica espreitando esperando o momento ideal. Meriadoc chama um elemental da água que abre um corredor na água direto até o corpo da Hidra. Askin vai na carga enquanto Loren e Dort fazem cobertura. Askin ainda toma umas porradas mas consegue gastar o resto de seus pontinhos de vida pra carregar sua magia e desfere uma mega marretada que chacoalha a bicha toda, e uma luz no formato da flor tatuada nele aparece por um momento na bichona toda.

Conforme a Hidra mucha a água começa a escorrer, aparentemente o corpo enorme da Hidra tapava os canais. Com boa parte da água escorrida todos vêem o monte de tralha acumulada no leito do lago. O elemental de água de Meriadoc vai coletando as coisas, inclusive umas mágicas que Meriadoc detecta, além de vários dinheirinhos e muuuuuitos mortos. Dort arranca um teco do couro da Hidra e Meriadoc uns tecos diversos.

moedas

Na boca da caverna em frente umas criaturinhas se acumulam nas paredes observando os heróis. Eles seguem pela caverna atrás de Kromlek, um puuuta cheiro de carniça e decomposição toma conta de tudo. Vão andando e notam que as criaturinhas só ficam andando pelas paredes, nunca tocam o chão. Uma ondinha passa perto deles, algo se movimentava por baixo dos restos decompostos que lotavam o lugar. Eles e apressam o passo e a movimentação embaixo fica mais forte, logo um minhocão surge do nada pra cima deles, mas todos agem imediatamente e matam o bicho sem muito esforço. Os bichinhos das paredes ficam todos eriçados e barulhentos.

Só mais uma minhoca superdesenvolvida

Só mais uma minhoca superdesenvolvida

Andam mais e Askin começa a sentir uma presença maligna mais a frente, andam e a presença se aproxima, então surge um cara grandão e fortão, todo coberto da meleca que preenche o lugar, ele segura um tecão de metal enferrujado. O povo se prepara pra porrada, mas Lutia de repente atira o martelo que Askin deu pra ela na cabeça do grandão e grita uma frase em língua anã dizendo que agora uma pessoa blá será vingada. O povo desce o cacete no fortão e rapidão mata ele também. Lutia ainda meio invocada segue atrás de Kromlek.

Ele só veio pedir um lencinho, poxa...

Ele só veio pedir um lencinho, poxa...

Mais a frente avista uma silhueta sentada numa pedra. Se aproximam e reconhecem seu amigo anão Kromlek. Mais dois caras daqueles grandões caídos perto dele. Ele está peladão e meio desorientado. Notam que algumas coisinhas nele estão diferentes, seus olhos estão opacos, sua barba e cabelo tem tranças naturais com miçangas mas não parecem cabelo, mais uma grama fininha. Em suas junta há aqueles redemoinhos de madeira, sua pele está sem nenhum ferimento, e parece mais dura. Askin se aproxima e o cobre com sua capa, e oferece a maça dourada dele de volta, mas Kromlek recusa sem explicação. Então Meriadoc lhe oferece o símbolo sagrado mas ele novamente recusa. Então Lutia sai de trás de todo mundo e Kromlek a vê. Ele pára por um momento mas logo se levanta com muito esforço e se ajoelha na frente dela, chama a de majestade. [momento tã nããã que todos esperavam-hehehe] Lutia meio constrangida pega a mão dele e o ajuda a levantar, e diz para saírem de lá logo. Kromlek a segue e quando passa todos vêem em suas costas uma flor enorme cobrindo as costas toda, mas ao contrário do outros que é apenas uma tatuagem a dele parece real, como camadas de pétalas que se movem conforme ele anda. Todos saem da caverna.

capitulo1

Anúncios
%d bloggers like this: