h1

3º sessão da mesa de Star Wars do Angelo

11/09/2009

3º sessão da mesa de Star Wars do Angelo
Order_66_SD_by_HenzG
Começamos com Deiji pedindo demissão da mineradora, volta pra sua nave e estuda a planta da tralha Sith que ele roubou. Percebe ser tratar duma arma enoooorme, tipo um lightsaber do tamanho dum planeta. Ele resolve construir uma versão miniatura e sai pra arrumar peças. Cola lá no meu mocó perguntando por peças.

Eu estou fuçando nos arquivos do Serps quando encontro um código estranho, descubro que é referente a um setor inexplorado da galáxia e um projeto secreto, e mais infos estariam armazenadas no meu droid, vou checar quando chega o Deiji. Ele me passa o que quer e eu fico de arrumar pra ele.

Lá na casinha do mestre Elel medita e treina forcices. O Miraluka (pj do Seiya) chega na casinha guiado pela Força. Elel o recebe, conversam abobrinhas.

Lá no meu mocó Deiji nota umas miras laser pela casa, me alerta e eu mando o droid checar. Ele é explodido (de novo) e uns milicos entram chutando tudo. Deiji pula pra debaixo da mesa, eu me rendo, os milicos nos arrastam pra fora de casa, vemos que todos as casas da vila tão passando por isso. Os milicos debulham tudo, saqueiam o que tem de valor e jogam num conteiner. Ponho um localizador no conteiner pra poder recuperar minhas coisas depois.

Tentáculo na cabeça, vagabundo!

Tentáculo na cabeça, vagabundo!

Elel e o Miraluka saem da casa pra procurar o mestre que anda sumido e vêem a zona rolando na vila, umas navonas milicas passando pra todo lado. Eles tentam se esconder mas a nave avista-os e manda parar. Uns milicos aprochegam e enquadram. Revistam e acham o lightsaber de Elel. Tomam-no e passsam uns códigos no rádio dedando o evento.

Lá na muvuca vejo que aquele Sith do saber duplo tá comandando a porra toda. Me aproximo tentando levar um lero com o cabra mas ele ouve o recado no rádio e sai correndo. Tromba Elel e Miraluka e tira um sarrinho. Joga ela numa viatura, todo resto é posto pendurado nuns camburões. Conforme somos levados vemos pelas frestas do camburão que tão destruindo toda a vila.

Somos levados pruma base subterrânea cheia de pessoas trabalhando, somos separados em grupos. Deiji é jogado numa câmara junto com um monte de nego, oito corredores a frente. Ele escolhe um e segue, conforme anda vai ficando mais quente, então decide voltar. Entra em outro, mais úmido, até que começa escutar barulhos de estômagos monstruosos, então volta pra câmara novamente. Entra em outro onde tem um líquido grosso no chão, vai andando um tempão até que começa a se sentir meio brisado chapadão. Encontra um buraco no chão, analisa mas num acha nada lá, então começa a voltar, então sente uns fios de aço pelo chão que prendem a perna dele e puxam para o fim do túnel. Um cara pega ele e o carimba dizendo que está apto para o trabalho e jogam ele pra apertar parafusos.

Tento labiar um dos guardas mas num adianta, me jogam numa câmara. Imagino que as paredes vão se fecharm então analiso tudo tentando evitar a morte. Tento enfiar coisinhas nas paredes mas num adianta, o chão começa a subir. Pára poucos metros do teto, uns caninhos aparecem nos cantos. Organizo os perdidos que estão comigo pra tapar os canos com tudo que pudermos, mas são canos de laser e num vai ajudar muito. Calculo os ângulos dos tiros e fico no ponto cego. Os canos disparam, um deles explode pelo entupimento, mas mó galera morre. Uma porta se abre e o povo entra correndo, eu desconfio ser mais uma armadilha e fico pra trás com os mortos, esperando uma oportunidade pra fugir. O chão desce e mais pessoas entram. Logo o chão sobe novamente e outros canos aparecem, só que dessa vez são lança-chamas. Ponho de novo o povo pra tapar os buracos enquanto acho um ponto cego de novo. Fogo pra todo lado e mais mum monte de gente é morta. A porta se abre de novo e todos correm pra dentro, incerto da constância da minha sorte sigo a galera. Me carimbam apto pro trabalho e me mandam carregar coisas.

Elel é jogada numa sala escura e vozes começam a falar com ela, logo aparece uma espécie de júri Sith que fica chamando ela de traidora e zoando ela. Elel manda os caras se lascar e dá uma banana pra eles. Os Siths chamam ela pra se juntar a eles mas ela recusa, então eles jogam um cristal vermelho pra ela dizendo pra ela tocar no troço e ativar o conhecimento. Ela teima e num toca. Eles deixam ela lá meditando e vão embora. Elel começa a ter umas visões malvadas dela dominando o planeta dela e depois matando o seu mestre, e mais alucinações assim. Ela resiste e mais um cristal é jogado pra ela. Ela manda todos catarem coquinho, então os caras decidem deixá-la ir, então ela aparece fora da base.

Os cristais do pudÊÊÊÊÊ

Os cristais do pudÊÊÊÊÊ

Eu começo meus esquemas. Espero alguém se machucar e corro pra ajudar, quando os caras vem me repreender convenço eles que posso ajudar mais entro lugar, consertando os feridos e melhorando a produtividades e talz, os caras me transferem pra enfermaria. Lá eu tenho mais acesso a equipamentos e químicos. Me falam que dependendo do meu desempenho eu deixaria de ser escravo pra virar contratado, beleza. Vou onversando com os feridos, fazendo amizade e descobrindo sobre os setores, locais e seguranças, dopo os caras pra me liberarem infos pra eu construir meu plano de fuga. Pode ser demorado mas a longo prazo eu saio de lá, ou me dou bem, vai saber.

Elel tromba la fora o mestre, que diz que vai entrar e chutar a bunda das pessoas. Elel prefere ficar de fora, o mestre entra. Depois de tempos aparece o padawan que ela libertou na última sessão, só que ele parece mais maduro agora. Ele diz que vai entrar e resgatar o mestre que já devia ter voltado, ela decide ir com ele. Vão fatiando o povo no caminho, então trombam Deiji apertando uns parafusos, ele entra na brincadeira e seguem, até que Elel toma uns ataques mentais e começa a ter um combate mental sei lá com quem e pedala.

O miraluka aparece, sei lá de onde, e ele e Deiji vão pruma sala de controle, rendem os técnicos e obrigam eles a abrir todas as portas, liberar todo mundo e dar informações (e tocar Jailbreak nos altofalantes da base). Logo começa uma baita zorra pela base, droids e milicos pipocando os presos e trabalhadores. O Miraluka vê Elel pedalar e vai ajudá-la, entra na mente dela e vê o padawan e o mestre morto e sei lá mais o quê (é, num prestei atenção mesmo…). Ele volta da mente dela, o mestre aparece, o Miraluka entrega Elel pra ele e decidem ir pra enfermaria descolar uns band-aids pra ela.

Chegam na enfermaria e me jogam Elel pra eu consertar enquanto cuidam da porta. Aiai… Conserto Elel e todos se preparam pra sair de lá pra liberdaaaade. [esses Jedis só me arrumar encrenca…]

Anúncios
%d bloggers like this: