h1

10º sessão de CdZ do Tib

29/09/2009

10º sessão de Cavaleiros do Zodíaco do Tib

Dessa vez foi solo mesmo, só eu resolvendo o milhão de coisas que tenho pra resolver. A Pri apareceu um pouquinho com Hanna no meio.

Depois da última reunião de ouro a vida continuou. Tinha o lance com a Sati e o tal noivo prometido dela mas num pressionei. Num belo dia acordo e ela continua dormindo, logo sinto uma presença passeando pela casa, armo minha guarda e tento achar o intruso, noto que tá na cabeça da Sati. Entro na conexão mas uma barreira de cristal me impede. Supondo ser obra da própria Sati, ou do pai dela, volto e aguardo. Quando ela acorda diz que a família dela quer que ela cumpra a promessa e case com o infeliz a quem ela foi prometida. Conversamos, deixo claro que isso não vai rolar e que posso encher todo mundo de porrada se for preciso. Ela diz que tem um ritual pra provar que eu seria o noivo certo mas só um dos noivos sobreviveria e não podemos deixar que o infeliz morra já que não tem culpa e tá tão amarrado quanto ela. Ficamos de resolver isso…

Vamos fugir e casar em Las Vegas logo...

Vamos fugir e casar em Las Vegas logo...

Sati recebe uma mensagem da mestra do Santuário nos chamando prum ritual, só que acha estranho por ela não ter me mandado a mensagem também. Então ela vê com seus poderes premonitórios uns caras aleatórios falando que a viram a Mestra zanzando com roupa de aspirante padrão e outra mina virou a Mestra do Santuário. Diz que nossa mestra Hanna não vai gostar nada disso, então vemos a cara enfurecida de Hanna. Digo que não podemos nos basear no que Hanna gostará ou não, temos nossas responsabilidades e devemos cumpri-las, e que se for da vontade de Atena então que seja. Saímos pra nos purificar antes do ritual. Ela na cachoeirinha e eu no morrinho.

Sati fica se purificando, eu termino e volto pra casa cuidar dos meus assuntos. Chego e me entregam mensagens das editoras que eu contatei sobre o livro de estórias que montei. Todas mandam propostas de grana mas não é esse o objetivo. Uma editora brasileira manda um projeto de ajuda indígena legal. Respondo pra eles que não é sobre lucro e sim pra expandir a consciência mundial e coisas assim. Mando cópias pros líderes religiosos e filosóficos do mundo. O Vaticano responde topando lançar o bagulho com umas edições da igreja, deixo pra ver no que dá. O Dalai Lama responde satisfeito com mais alguém pra luta. Tzk Tzk. Dias depois Ken aparece na minha casa com um muleke e um DVD, põe pra rodar e mostra o Dalai na TV lendo uma das histórias, depois duma greve de silêncio de anos. Infelizmente o mundo num entende muito bem e rola umas chacotas. Ken diz que tem uma mensagem, então entra em transe e um antepassado meu encarna nele. Diz que a por mais que o mundo num tenha entendido algumas pessoas entenderam e a mensagem foi passada. Ken volta ao normal, faço um rango pra gente e conto uma estorinha aleatória.

Dalai

Dalai

Começo a espalhar as estórias via sonho pra pessoas aleatórias. Num belo dia chego num canto que não parece estar sendo sonhado por ninguém, vejo um vira-lata passeando. Sigo ele, ele entra numa moita e some, eu rio e ouço alguém acompanhando minha risada, viro e vejo Sam, um xamâ do Cão camarada de tempos. Nos abraçamos e ele me mostra uma casa, chego lá e abro a porta, mas uma luz forte me impede de continuar. Trovões explodem pra lá e pra cá. Nós dançamos, umas patas de cachorro aparecem em mim, diz que o cachorro sempre protege e é leal. Então ele vira o vira-lata de novo e mija na porta da casa, depois volta a forma humana, nos despedimos e eu entro na casa.

Dogão é mau...

Dogão é mau...

Passo a luz forte e chego num descampadão, um touro enooooorme passeia por lá. Encaro o bicho, então expando minha consciência pra fica mais do tamanhão dele, fico parecendo um novilho com atitude. O tourão move a pata traseira e mostra Sati presa e do lado a armadura de touro, depois as esconde de novo. Encaro o bicho, ele bufa e raspa o chão, eu retorno a bufada e raspada. Ele empina pra me arrebentar, eu parto pro ataque tentando pegar ele por baixo, acerto mas o bicho é muito denso e tomo um porradão. Acordo e vejo um indião perto duma fogueira, há patas de cachorro pelo corpo, penas de águia e corvo, e um colar de presas de leão. Junto a fogueira está Sati sentadinha com roupa de índia. Me junto dela e do cara, o Avô Trovão.

Vovô Trovão

Vovô Trovão

Ele começa a cantar mas num entendo lhufas, depois ele acende um cachimbão e fuma. Depois ele vem até mim e estende o cachimbo, só que vira e o dá pra Sati. Ela fica bem emocionada e fuma, depois o cara pega o cachimbo de volta. Sati fica chorandinho e agradece o avô. Depois ela diz que quer dar um presente mas não sabe o protocolo, eu digo que estamos em família, não precisa de frescura. Ela vai até o avô e lhe entrega uma planta maluca mística. Começa a chover, aparece uma mulher, passa por nós e sorri. Se junta ao Avô Trovâo, é a Avó Chuva. Todos sentamos, cantamos e curtimos. Os dois levantam e vão embora, deixam a armadura de Touro ali. Aparecemos fora da casa de Touro, sinto as presenças de Hanna e da ex-Mestra (Euríale) se afastando. Os totem receberam Sati na família, agora tem que casar mesmo. Muitas encrencas vindouras….

Vovó Chuva

Vovó Chuva

Finalmente vamos pro tal ritual da mestra. Chegamos lá e somos posicionados nas quatro direções, eu, Sati, Hanna e Seph. Me dão um tambor, começa a musiquinha, vamos nos juntando no círculo mágico e de cima aparece a mina com roupa de mestra, e do lado a ex-mestra. O ritual prossegue, a mestra fala umas paradas e invoca Atena. A deusa aparece toda poser, nos reunímos atrás da mestra. Ela fala com Atena sobre a terceira irmã “medusa” Esteno que também foi amaldiçoada. A mestra Medusa quer purificar Atena e pra isso a deusa tem que liberar as maldições passadas.  Medusa pede pela deusa da justiça pra liberar a irmã dela da maldição mas Atena diz que Esteno é culpada e merece a punição. Então joga a batata pra gente, Euríale fica quieta, Hanna pede pela deusa da bondade, Atena recusa também, eu peço pela deusa da produção dizendo que Esteno precisa ser moldada e nessa forma num serve pra nada, Atena diz que é verdade mas Esteno produziu filhos malvados e os ama então não rola. Medusa pede pela deusa da guerra, Atena diz que beleza se Esteno passar pelo teste de combate contra cinco dos cavaleiros de ouro. Depois ela volta pra sua toca.

Atena - Nossa patroa sem noção

Atena - Nossa patroa sem noção

Depois voltamos pra rotina, sinto os cosmos de dois discípulos meus sumindo. Dio e Folk, que foram numa missão e morreram. Dio foi levado pela Lebre e Folk pela Aranha. Vou atrás de novos discípulos, na visita a Dona Ana na vila sinto uma menina de 2 anos toda enrolada na teia da Aranha. Pergunto pra Dona Ana e ela explica que é a filha da mina que era aspirante a cavaleira mas foi afastada por ter perdido um pé, depois teve a filha e o marido morreu. Colo na mina e chamo ela pra morar comigo, ela acha que é por que eu tenho que casar com ela por ter visto seu rosto, mas eu explico que a filha dela tem um trampo federal pela frente e que eu tenho que treiná-la, mas quero que as duas vão. Ela fica meio na dúvida mas ponho minha moral na mesa e ela topa. Começo a treinar a menina pra virar a xamã bombadona da Aranha. A mãe era uma das aspirantes mais rápidas de sua época, mas agora não sabe como se virar sem o pé, e a prótese estoura se ela esforça. Pego ela treinando escondida as vezes, começo a treiná-la pra deixar de depender do pé.

A dona aranha subiu pela parede...

A dona aranha subiu pela parede...

Anúncios
%d bloggers like this: