h1

3º sessão da mesa de M&M da Graci

22/10/2009

3º sessão da mesa de Mutantes & Malfeitores da Graci

Dessa vez só eu, Linux e Steve T.

Seguimos pelo covil do vilão Dr. Elétron, agora ignorados pelos robôs caranguejos guardiões. Equação diz que perdeu contato com a cópia dele que ele deixou com o doutor. Chegamos num corredor onde descobrimos umas micro mini camerazinhas dentro das paredes. Equação atravessa pela parede mas num vê nada por estar escuro, então Steve T usar seu controle de terra e molda a parede fazendo um buracão pra passarmos. Chegamos numa sala cheia de corpos humanos feitos de borracha, tipo um estúdio de arte pra moldar pessoas. Provavelmente preparando espiões pra infiltrar sabe lá deus onde.

Ou vai ver é só uma tara inofensiva...

Ou vai ver é só uma tara inofensiva...

Como o local parecia grande e não sabíamos pra onde ir Equação espalhou suas cópias pra todo lado, atravessando as paredes até achar algum lugar que valesse a pena irmos. Pelos relatos de Equação as cópias foram parar em salas aleatórias cheias de tranqueiras, mas uma das cópias foi morta. Ele envia mais umas pra o ponto que a cópia sumiu enquanto Steve T vai abrindo caminho pelas paredes.

Mais cópias são perdidas, Steve abre o último buraco e chegamos numa sala com uns robôs humanóides com trabucos, um mega raio laser, um tubo com botões e um cara nas sombras. Linux segura os tiros com seu campo de força, Steve T e Linux arremessam os robôs num canto com telecinese e eu os desabilito eletronicamente com meu escudo. Entramos na sala, vou voando até o laser e começo a desabilitá-lo pra não rolar surpresas. O cara de sombras se revela o doutor Jefreys, a pele dele começa a cair e vemos as partes metálicas. Steve T o segura com telecinese, e depois o envolve na parede, travando-o.

Dr. Elétron - Parece bem mais malvado agora, não?

Dr. Elétron - Parece bem mais malvado agora, não?

Alguém abre o tubo que havia na sala e de lá sai um dr Jefreys confuso e assustado. Ele pergunta ao que tá pegando, dizemos que o Dr. Elétron pegou ele e tava construindo uns equipamentos. O cara dá uma engasgada, os manos sacam que o cara tem culpa no cartório. Ouvimos batidas na parede da outra sala, aparentemente os robôs caranguejo tão socando o caminho pra sala. Tento controlar os caranguejos mas num rola. O mega raio laser começa a se mover como se estivesse vivo, Steve T o enterra no chão. Linux e eu arrebentamos o resto do corpo do Dr. Elétron de metal e tudo sossega.

Achamos o rubizão que o dr tinha levado da sede da NSA, o dr Jefreys confessa que já foi o Dr. Elétron. Enquanto checo os dados dos computadores do local tudo apaga, aparentemente alguém controlando de fora. Deduzimos que alguém tá juntando coisas dos vilões pra tocar o terror. Na mente do Dr. Jefreys Steve T e Linux descobrem a imagem duma mulher de cabelo prateado e bonita. Descobrem também sobre uma ilha misteriosa que ainda não sabemos onde é. Algemamos o Dr. Jefreys pra investigação e enquanto estamos indo embora meu escudo é desativado. Alguém de fora tentou nos intimidar, mas coragem e burrice andam lado a lado, certo?

A mocinha boazinha malvadinha

A mocinha boazinha malvadinha

%d bloggers like this: