h1

5º sessão da mesa de D&D do Danizinho

22/10/2009

Nessa só eu, Foice(monge) e Leo(ranger).

Saímos das ruínas do templo e voltamos pro tal oásis pra devolver a estátua da esfinge. Trombamos a tal no oásis e em troca da estátua ela oferece conhecimento. Preferíamos ouro né, mas serve. Ela pergunta das outras estátuas, a do leão e a do homem-leão. Pede para banhar a do Leão, o monge joga uma água e aparece um leãozão. A esfinge diz que é um guardião que vai obedecer a gente por um tempo, só que deve molhá-lo com água pura, então enchemos nossos cantis com a água do oásis. Diz que a outra estátua, do homem-leão tem que ser banhada com algo mais denso, tipo sangue de alguém bonzinho, e invocará um guardião celestial porradeiro.

Será que é ele que vem?

Será que é ele que vem?

Aproveitando o embalo pedimos pra esfinge checar nossas tralhas mágicas que descolamos nas ruínas. Um nunchaku que o monge pega e fica mais rapidão, e um arco que ela diz que foi abençoado por Pelor. Pegamos mais umas poções, anéis e talz. Pedimos pra ela chamar o esfinge que protege o templo que a gente espancou pra gente checar umas coisas com ele. Ela chama e o bicho aparece, perguntamos se ele sabe do clérigo que cuidava do templo e sumiu. Ele diz que o cabra deve ter ido pruma cidade próxima mas que pode voltar logo agora que limpamos o templo da malignidade.

Lááá na cidade da gente o ranger do Leo e o mago do Leandro foram numa missão paralela atrás de uma pessoa mas a encontraram morta e voltaram. O mago manda uma mensagem pro nosso clérigo perguntando da gente, dizemos que tá tudo bem e voltamos pra cidade. Lá o mago cafetão que nos arranja trampo nos tromba e passamos o relatório pra ele. Ele diz que a mestra dele tem mais uma missão, chegamos lá, antes de tudo pegamos nosso pagamento, uma bolsa cheia da grana.

A maga diz que como as pessoas que ela mandaria nessa missão sumiram vai nos usar de reserva. Diz que temos que ir no planos dos demônios selar um portal que tá mandando os capetas pra cá. Como pagamento ela nos dá uma lâmpada, esfrego e sai um gênio flamejante. Ele conversa com a maga perguntando se é esse o grupo que ele tem que servir pra quitar a dívida com ela, ela confirma. Ele diz que a gente tem três desejos. Checamos com a maga a potência dos desejos e engarrafamos de volta o gênio.

Desejos -  a maneira mais suja de um mestre aloprar um jogador...

Desejos - a maneira mais suja de um mestre aloprar um jogador...

Pedimos pra ela nos vender uns itens pra missão, ela diz que precisa dum tempo pra arrumar as coisas, mas enquanto isso podemos fechar um portalzinho que abriu ali perto. Topamos. Vamos pruma montanha, notamos pegadas de cascos e patas de galinha, além de humanóides. Vamos seguindo, escalamos, chegamos numa caverna. Entramos, eu na frente como batedor. Chegamos numa câmara cheia de buracos na parede e risadinhas pra todo lado. Avançamos e coisas começam a cuspir na gente, demoninhos que se escondem nos buracos.

Bichinhos irritantes...

Bichinhos irritantes...

Partimos pra porrada, as melecas dos bichos endureciam quando nos acertavam, travando um pouco nossos movimentos. O ranger usa um bastão brilhante e vemos melhor os bichos, sentamos o prego neles, uns fogem, seguimos. Chegamos numa rampa, um escorregador. Com meu novo manto de aranha e andar nas paredes checo o que tem lá embaixo. Vejo um mar de ossos, passo pra galera. Pensamos num jeito de passar pelo lugar sem ter que afundar os pés nos ossos pois vai saber o que tinha debaixo daquilo tudo. Pegamos uma pedrona e o ranger vai empurrando agora que arrumou um item que dá muita força, eu vou por cima observando.

Durante o caminho sentimos tremiliques na caverna, provavelmente alguma ocorrência natural tipo erupção vulcânica. Mais tremiliques e jatos de água fervente espirram do chão. As galera vai desviando até que um dos jatos explode a pedra que os caras tavam usando. De cima passo um caminho mais seguro mas os jatos ficam mais freqüentes e os caras tomam um em cheio, fazendo um machucadinho. Passamos os osso e chegamos até uma câmara com vozes.

Vemos montes daqueles demoninhos, uns cachorros infernais que enfrentamos no começo e dois daqueles demônios ossudos que penamos pra capotar no começo. Todos fazendo um ritual num círculo profano. Subo no teto e desfiro várias flechadas no círculo pois como meu arco é o sagrado de Pelor pode afetar a magia. Erro miseravelmente todas, atraindo atenção. Os caras entram na treta, os ossudos botam medinho na gente, continuo errando minhas flechas. Mais porradas, acerto o círculo e os demônios ossudos somem. Mais treta e acerto mais flechas no círculo sumindo com os cachorrões. Os demoninhos tentam fugir mas minhas aranhas e eu jogamos teias nas saídas, os caras limpam o lugar. Ou sujam muito né….

E pensar que a gente já penou pra derrotar um desses...

E pensar que a gente já penou pra derrotar um desses...

Vou todo poser no local do círculo e clamo pela proteção de Pelor e cravo o símbolo sagrado que achamos no chão. Rola uma luzinha e o troço fica grudado de verdade, bloqueando a passagem dos capetas. Voltamos pra base.

Anúncios

One comment

  1. Lipeza feita..chama a Vega Sopave pra tirar os restos!



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: