h1

Última sessão de Senhor do Anéis do Leo

04/12/2009

Última sessão de Senhor do Anéis do Leo

Última da primeira Era né. Nessa tivemos além de mim, o Foice com Haldir, elfo guerreiro, e o clérigo do Álvaro e o Ranger do Hugo que eu não lembro os nomes.

Andando pelo túnel gigante pra Gondolin, a tal cidade fodona dos elfos, somos atacados por flechas, vozes muquiadas mandam a gente se render  largar as armas. Não conseguimos achar os safados, uso minha magia de sono e uns dormem, fico invisível e comço a procurar os escondidos. O Ranger (ex-pj do Danizinho) puxa as armas e toma umas flechadas, morrendo. Os escondidos enchem o saco até que nós nos entreguemos. Pegam tudo que a gente tem, bando de ladrões. Depois de sermos subjugados aparece um elfo poser lá que dizem ser o rei da turma toda lá, rei Turgon. Falam umas abobrinhas, mostro o anel que o Fingolfin (outro cara fodão, um rei, acho) me deu e os caras levam também. Vão nos levando até a cidade de Gondolin. Nos arrastam por portões gigantes cheios de frescuras até a sala do rei.

Gondolin - Uma cidadezinha aí...

Enquanto isso no inferno, nosso clérigo (que foi morto na penúltima sessão) é arrastado por um demonião. Sei lá como ele se livra disso (é, eu tava entretido com outra coisa no momento tchururuuu) e vai parar no salão de Mandus, o deus do destino. Eles conversam e mandam o clérigo de volta pros vivos, algo sobre ele num poder mais morrer ou algo assim. Já o ranger passeia por locais élficos e acaba indo parar na Terra-média também (já falei que eu tava distraído?).

Lá na sala do rei Turgon fala mais abobrinhas, sou mau educado como sempre e ameaçam me matar como sempre. hehe. Aparecem o Clérigo e o Ranger por lá, mais conversa sobre a situação da Terra-média e tretas diversas. Falo pra eles pararem de frescura se quiserem resolver o problema, o Turgon fica mais sussa. Então trazem uma espada que o Ranger tava carregando que era do Clérigo e tinha o espírito do Feanor (algum outro cara fodão dos elfos). Discutem sobre a espada e o que fazer com ela, pois o Feanor era um coisa ruim e muitas zicas podem rolar. O rei manda o Haldir decidir pois ele é um servo de Mandus, e Haldir manda destruir a espada. Eu vou no cantinho, puxo uma gema e falo com os deuses na minha cabeça, oferecendo a  eles uma alternativa, mandar o Feanor pra gema sem os elfos saberem pois se a coisas forem feitas do jeito deles vai dar bosta, mas não tenho retorno. Levam a espada pra ser destruída.

Feanor - O único elfo espada (tendeu? hehehe)

Daí entra um guarda fodão trazendo a Elanodel, a Droopy, inconsciente e arrebentada. Dizem que pegaram ela espionando. O povo discute bobagens, eu noto que ela está fingindo estar inconsciente, chego próximo e tenho pegar o bracelete dela pra ela não matar ninguém mas ela levanta e parte pra cima do rei, mas pára em Haldir. A treta começa, rola uns brilhos que me deixam cego, mais porradas rolam, Haldir trava a maldita, ela vira um rato e entra pela armadura dele, Haldir continua travando-a até que os guardas o pegam e jogar pela janela pra matá-la. Haldir e o rato caem dentro duma fonte, o Ranger vai atrás, até que a Droopy morre e volta a forma normal.

Com a cidade trancada nos seguram por lá. Começamos a viver por lá, monto uma banquinha de bijuteria até. Quinze anos depois uma princesa lá chama o resto do grupo e combina com eles de sair dali pois uma zica tá pra rola. O clérigo me chama e pede preu descolar umas armas já que não dão nada pra gente. Aproveito um festival do sol pra roubar umas espadinhas mixurucas. Então a cidade começa a ser atacada, tretas rolam e damos nos pé, saindo da cidade. Aparentemente a cidade é tomada, leia o livro se quer detalhes. A Era vai acabando e os créditos passam…

We don't need no water, let the motherfucker burn!!!

Anúncios

One comment

  1. HAHA’ Amei a primeira foto.



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: