h1

1º sessão de Star Gate do Hugo

21/01/2010

1º sessão de Star Gate do Hugo

Sem sistema ou ficha, só um d10 mesmo. Somos cadetes da força aérea americana. Eu estou como Amadeus “Mad Dog” Fink, especialista em comunicações. Temos Foice como Artur Strike, sniper e pipoqueiro. E o Leo como Eugene, médico que já conhece sobre essas tretas dos portais.

Começamos com Eugene nos laboratórios, falam sobre uns bichinhos parasitas que tão pegando a galera, tão estudando esses parasitas, falam um monte de abobrinhas que eu ignorei mesmo. Já Strike está numa operação de vigilância, tá junto com outros milicos observando um senador. No meio da vigilância o senador vai até o meio da sala e fica parado, então aparece uma nave bisonha no alto da casa, luzes fortes pra todo lado, Strike despirocando gritando pra todo lado e atirando na nave, uns anéis se formam ao redor do senador e o some. Chegam os outros milicos, Strike e eles vão pra casa do senador mas os seguranças barram. Então coisas começam a se destruir, tiros, barulhos, aparece um outro militar tipo coronel [que creio fazer parte da série] e a situação ameniza. Strike conta tudo que aconteceu, o milicão resolve levar Strike junto já que ele viu demais e a outra opção era matá-lo.

As rodelas do transporte

Na base meu superior fica me passando coisas bizarras pra decodificar, e depois de muitos códigos ele me manda pro Egito checar uns símbolos que foram encontrados. Chegamos no Egito, vamos até uma pirâmide que foi encontrada há pouco, então tem só a pontinha escavada, e uma entrada. Entramos e vemos os tais símbolos pelas paredes, e um cientista abobado [que também deve ser parte da série] os estudando. Chamamos a atenção do cientista até que ele vem falar com a gente. Noto que os símbolos formam um tipo de instruções, pergunto pro cientista se ele já sabe o que o troço manda fazer e ele volta a estudar os símbolos surpreso. Eu me junto a ele e fico mostrando o porque de eu achar isso e no que toco nos símbolos eles brilham e uma porta se abre na parede.

Luzes misteriosas irradiam, ficamos boquiabertos, comunicamos os milicos e enquanto eles não vêm vamos investigando, e ficamos tão absortos que nem notamos que já passamos pela porta e estamos num corredor iluminado por luzes fosforescentes. Pelos símbolos deduzimos que o local tem algo a ver com a deusa Ma’at, a deusa da justiça, do céu (e do chá?^). Continuamos andando e achamos outra parede com símbolos, cutucamos e mais uma porta se abre, vemos uma sala grandona com um sarcófago estranho. O cientista fica assustado como se soubesse algo, diz pra corrermos e sai correndo. A porta começa a fechar, ele passa e eu quase não consigo passar. Ele já disparou na frente, eu corro e a primeira porta também fecha me prendendo lá dentro. Fico esperneando mas sem retorno. Volto pra outra parede e abro a porta de novo, entro na sala e os sarcófago começa a abrir.

Tipo assim

Na base Eugene é mandado pro Egito por causa da pirâmide pra caçar os parasitas. Strike é levado pruma base secreta, altos papos sobre coisas secretas e do que rolou com o senador, alistam ele no time e contam os esquema dos portais pros outros planetas. Armam uma missão, vai Strike, o milicão e mais um, junto com um robozinho R2d2. Vão pra plataforma do portal, passa toda frescura do portal e eles passam, chegam até um planeta desértico. Strike dá uma vomitadinha pela viajem mas dizem ser normal.

Eugene chega no Egito e tá tudo lacrado, a pirâmide se trancou toda. Pelos estudos a pirâmite é de pedra mas tem um miolo de metal bizarro. Ficam discutindo meios de entrar na pirâmide. Lá dentro, o sarcófago abre e tem uma múmia quietinha dentro. Fico fuçando a sala atrás de uma saída, acho uns desenho estranho, cutuco e coisas brilham. O sarcófago fecha, luzes, e quando abre uma gostosona levanta. Diz que é Ma’at e que vai tocar o terror, mas eu vou virar o servo dela pra ela se atualizar depois de milênios dormindo. [Por que todo vilão quer me recrutar? Tzk tzk… E por que eu sempre aceito?] A gostosona Ma’at faz uns gestos e coisas se movem, brilham e fazem barulho. Ela suga meu cérebro atrás de informação e me põe pra pilotar a nave dela, que é o troço de metal dentro da pirâmide. Levantamos vôo, ela põe na minha cachola a localização dum planeta lonjão e disparamos.

Tipo isso misturado com a Halle Berry

A galera militar fica loka, tiros e aviões mas nada resolve. Envio uma mensagem muquiada pro meu superior dando a localização do planeta e sobre a Ma’at, e vamos pro planeta. Na viajem chega uma hora que ela manda eu descansar e fico ouvindo ela conversar com os escravos dela que apareceram sabe lá deus de onde. Contam pra ela que Rá (o deus do sol) foi derrotado e sumiu, ela fica putona e tudo treme.

Lááá no planeta distante, Strike e tchurminha passeiam. Logo se juntam com o grupo de Eugene (que realmente num lembro como foi parar no planeta). Continuam o passeio até que são atacados, tiroteio e destruição, mas Strike e Eugene são acertados e apagam [duas falhas críticas – mereceram]. Acordam numa jaula tosca, não consegue sair. Chegam dois escravos de Ma’at e os levam até a própria. Ma’at fala com os dois, pergunta sobre a morte de Rá e toda a bagunça que os humanos tão fazendo. Diz que vai ficar neutra na treta e tentar falar com os outros deuses pra resolver a quiaca. Eugene bate boca e toma umas invasões mentais que o deixam pianinho. Strike fica de boa pra não tomar também. Ma’at os libera e manda voltarem pra Terra, saem correndo. Ma’at me libera da servidão também e saio correndo.

Chegamos na plataforma do portal, Strike ativa o transporte enquanto Eugene tenta usar o R2d2 pra encontrar o resto do povo que foi pra lá. Como ele não entende nada de rádio eu faço, contacto a base pedindo permissão pra passar pelo portal, eles negam por eu ser um traidor. [Lembram daquele lance de “Inteligência Militar” ser uma contradição em termos? Pois é…] Ignoro e corro pro portal, mas Strike atira em mim fazendo eu rodar e bater na aba do portal passando só meu braço, que quando eu tiro num tá mais lá, só sangue jorrando. Eugene faz uns curativos até que o povo libera a passagem. Voltamos pra Terra.

Portalzinho singelo

Strike e Eugene são interrogados a exaustão e depois colocados em celas. Então alarmes soam, todos se mobilizam, tem algum deus maluco invadindo a base. O portal é trancado mas começa a ser destrancado pelo deus maluco. Lá na enfermaria Ma’at aparece e refaz meu braço. Avisam da presença dela lá e ela some. A galera chega e avisam que ela tá no portal de novo. Correm pra lá, ela olha pra todos e some no portal. Somos interrogados de novo e meses depois viramos parte do time.

Mandam a gente resolver o lance da nave que sequestrou o senador. Ficamos vigiando a casa, tudo voltou ao normal, o senador voltou, a nave aparecia de vez em quando, concluímos que o safado tava trabalhando pros deuses. Armamos o plano e executamos. hackeio a rede dos guardas e abro uma brecha na segurança. Entramos e neutralizamos o senador e a esposa com drogas. Eugene fica la interrogando o senador enquanto eu e Strike vamos pra nave. Ficamos no ponto do transporte e somos levados pra nave. Muito tiro e destruição depois chegamos à ponte de comando e encontramos um cara que conhecemos da base que tá trabalhando pros deuses. Tomamos a nave e guardamos na área 51, os espiões são jogados pros interrogadores. Pela glória de Ma’at… digo…

Anúncios

One comment

  1. hauhauhahuauhahuhuaa

    Foi divertido… temos que repetir a dose…



Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: