h1

2º sessão de CdZ do Tib

05/02/2010

2º sessão de Cavaleiros do Zodíacos do Tib

Nessa foi só os aspiras. Os cavaleiros ficaram só assistindo nosso sofrimento das arquibancadas.

Rolamos a tal gincana de caça bandeira que o Woltan arrumou. O objetivo era os aspiras mostrarem suas técnicas e chamarem a atenção de algum cavaleiro pra treiná-los, foram os 24 melhores aspirantes, divididos em dois times, se espancando no meio do mato pra pegar a bandeira inimiga e proteger a sua própria. No nosso campo tinha um buracão beeem fundo, e no campo dos nossos adversários tinham plantas venenosas. Os campos eram cortados por um rio e uma cachoeira. Nós três estávamos no mesmo time. Os cavaleiros podiam tirar qualquer aspira da brincadeira escolhendo-o pra treinar.

Começamos a bolar nossa estratégia. Prince, um baitolinha metido quis dar uma de líder mas num colou. Medif sugeriu protegermos a bandeira perto do buracão, com uns caras escondidos pra socar os manos que aparecerem e irmos até a bandeira deles depois. Discussões aleatórias depois e seguimos esse plano. Inocentemente [juro] convenci um dos pivetes do nosso time a fazer tocaia dentro do buracão, claro que ele não tinha chances, mas acabou topando. Medif prometeu duas cocas pra todos do time se nós ganhássemos.

Começa a brincadeira, fico correndo pra pegar os manés que aparecerem, escuto uns gemidos de morte e vou checar, quatro manos fortinhos vem pra cima, um tenta me agarrar mas eu pulo, indo pra cima de outro cara já com um golpe engatilhado. Ele dispara uma flecha energética que me acertaria em cheio se o cara num desviasse o próprio golpe, e redirecionou pra acertar o mané que tinha ficado de tocaia no buraco. Medif aparece e é atacado também, acertam-no e ele é jogado longe. Vou pra treta com um dos caras, enquanto isso um bichinho ruim chamado César puxa uma faquinha pra me matar, e teria conseguido se Claude de leão não tivesse me arremessado longe da treta sem ninguém ver. Ele me joga pro buracão, seguro num cipó pra não cair mas o tranco foi grande demais e apago, caindo pro buraco. Medif corre e me puxa de volta. Algum cavaleiro tira César da gincana, mas não vemos quem.

Max fica protegendo a bandeira com Prince. Uns caras aparecem pra tretar, Prince pede pra Max ajudá-lo com um golpe, Max topa, então Prince monta em Max ficando de cócoras em seus ombros e pede pra Max pular o mais alto que puder quando ele der o sinal. Ele dá o sinal e Max não pula, joga Prince pra cima quebrando todo golpe que ele ia dar. A treta continua, pancadaria aleatória, até que Lucas de Coroa Austral interrompe a treta, fala abobrinhas com os aspiras e escolhe três pra treinar, o Prince, o Max e um genérico que tava no meio.

Eu acordo e um cara aleatório cola pra tretar, eu alopro ele e saio correndo pra ele me seguir, só que corro demais e o mané me perde. Deixo ele pra lá e vou atrás da bandeira inimiga. Corro pelo mato sentindo presenças com cosmo por perto. Um lobo aparece no meio do caminho escondido numa moita. Desvio receoso, num gosto muito de lobos, mas decido deixar de frescura e espancar aquele bicho. Então sai da moita um pivetinhozinho com olhos de lobo e caninos, rosnando e tentando me intimidar. Eu alopro esse também, chamo pra briga mas ele num vem, então vou eu, e com um murrão enterro a cara dele no chão. Continuo…

O lobinho

Lá no nosso campo um pivete adversário pega nossa bandeira e sai correndo, um pivete estranho do nosso time derruba o cara, ele tem um lance de num ser percebido. O resto do time se reagrupa e fica socando os restos do outro time que sobraram. Medif vai atrás da bandeira inimiga.

Eu continuo correndo quando noto alguém bem grande vindo pra mim, derruba umas árvores no caminho com uma clava e diz com voz grave que vai me moer e tudo mais. Eu chamo pra treta e saio correndo mas ele não me segue, noto que os movimentos dele não levantam poeira nem afetam o resto da área, e noto uma figura bem menor junto do cara grande, ilusão. Tzk tzk… Corro por trás e ataco o menorzinho desfazendo a ilusão. Ele caído pergunta como eu descobri, eu sorrio maliciosamente e o apago.

Chego na bandeira dos caras, três manés protegendo, obviamente iscas. Dou a volta pra pegá-los de surpresa. Medif passa pelos capotados no caminho e encontra a bandeira. Mais caras vieram com ele, ele dá uma motivada na galera e eles vão pra pegar a bandeira na loka. Medif é seguro pelo cara que ninguém percebe, diz pra deixar os caras irem na frente e disparar a armadilha. Claro, espetos aparecem do nada e atravessam os manés. Os pivetes adversários pegam a bandeira e saem correndo pra protegê-la. Eu corro, tento pegar o último cara sem ninguém perceber mas eles notam e fico tretando com dois enquanto o cara que segura a bandeira continua correndo. Medif vai pra cima desse cara.

Saio correndo pra atrair os caras pras plantas venenosas mas eles previam isso e armaram armadilhas, uma quase me segura pelo pé. Em um momento eles se separam pra me cercar, então eu volto e pego um pra cristo enquanto o outro não chega. Dou um murrão mas o cara segura, ele revida e pega raspando, eu devolvo uma joelha que p nocauteia justo quando o outro cara tá em cima de mim, já com golpe carregado. Detalhe que é um golpe igual do cavaleiro de Hércules. Felizmente o cara num guenta o tranco do golpe e me acerta com menos força. Ele pára exausto, começa a falar bobagens e eu aproveito pra nocauteá-lo de vez. Mas um cara com asas douradas me impede, diz que eu tenho que aprender mais sobre honra. É o Dário, cavaleiro de Sagitário. Vai me tirando a prova.

Medif e o cara da bandeira. Ficam correndo, o cara usa a bandeira pra se proteger de Medif, depois crava o mastro no chão e fica girando pra chutar Medif. Tapinhas depois Medif derruba o mastro cravando o mané no chão. Enquanto isso lá no nosso campo um adversário espancou todos que sobraram e pegou nossa bandeira. Dário olha pra Woltan e diz que como só tem um cara de cada lado sobrando e com a bandeira pode declarar empate né, então o cara que ninguém percebe aparece, lembrando que ele ainda tá lá também. Então a prova continua, aquele que levar a bandeira pro outro campo ganha. O outro cara acaba sendo mais rápido e perdemos. Fiquei sem minhas duas cocas, mas ganhei um mestre.

Dario de Sagitário - Meeeeu mestre

Uns pivetes morreram, outros só se arrebentaram, uns foram escolhidos como discípulos. Aldebaran [meu outro pj] escolheu aquele pivete da ilusão. Alexandre de Coroa Boreal pegou o Lobinho e mais um genérico. Takeshi pegou o cara do mastro e que tomou minha joelhada. O cara do golpão foi pro hércules. Hanna de Aquário pegou o tal César, o maninho que se esconde e o cara que pegou nossa bandeira. Bem, acho que foi isso.

Anúncios
%d bloggers like this: