h1

1º live de Vampire the Requiem do Eros

11/02/2010

1º live de Vampire the Requiem do Eros

Continuação de outra crônica, só que dessa vez jogamos com os NPCs que trombamos na outra. Rola em Sampa 1996 (por aí), mesma época da campanha de changeling. É uma mistura de live e mesa. Estou jogando como Branco, Mekhet Invictus. Daí temos a Família Feliz Daeva Invictus. Temos Dionísio como Vovô Patrício, Príncipe da cidade que tava em torpor até agora. Natália como Mamãe Bella, perua que tava no comanda, ou quase. Fay como Netinho Love, filho rebelde que virou Carthiano. E Thata como a Bisnetinha que eu não lembro o nome, maluca porradeira.

Depois de eventos bizarros no Ibirapuera muitos vampiros sumiram. Foram sumidos ou só estão escondidos mesmo. Um mês depois Bella marca uma reunião em sua casa pra ver quem ainda tá na cidade. [onde já vi isso?] Pra nossa surpresa aparece vovô Patrício, que tava em torpor desde 1910. Veio acompanhado de Ruivo, Gangrel Crone marombado. Passados surpresa, cumprimentos e combates começamos a explicar a situação pro velhinho. Já disse que odeio anacrônicos? Ruivo vai embora e Patrício pega um por um pra uma conversa particular.

Esses anciões...

Vou primeiro, conversamos, depois vem os outros, fico xeretando as conversas deles. Coisas secretas, sabe como é. Ficamos de investigar e resolver os pepinos, como achar as crias que sumiram nessa zona. Mais conversas particulares depois e fim.

%d bloggers like this: