Archive for the ‘Genérica’ Category

h1

1º sessão aleatória minha de M&M

11/12/2009

1º sessão duma mesa aleatória minha de M&M

Mesa genérica de M&M, era pra ser one-shot mas não conseguimos terminar, então ainda teremos mais um episódio. Ou mais se o povo enrolar demais né. Temos a Graci como Puma, uma velocista. Alex com Espectro, um cara com poderes de sombra. André com o Coruja, um psicão. E Thener com Clint, um pistoleiro com balas variadas. Todos menos Thener fazem parte do grupo de heróis conhecidos como Vigilantes. A estória rola numa cidade grande genérica.

Começa com nossos heróis em patrulhas quando vêem uma fumaça preta subindo no horizonte. Puma corre lá pra checar e vê, num porto da cidade, um cargueiro afundando todo estropiado vazando um líquido negro e saindo a fumaça negra e densa. Puta trânsito na região, mais por uma ponte ter desabado ali perto. Puma relata pros heróis que partem pro local.

Enquanto isso Puma investiga. Vê que a ponto não caiu simplesmente, teve a coluna fatiada e os cortes são limpos e precisos. Vê que uma das ruas paralelas que poderia servir de opção ao trânsito também está zoada, um buraco no meio da pista impede a passagem. Nennhum tipo de socorro consegue chegar lá. Pessoas pulam do cargueiro, umas estão presas em escombros.

O resto chega na cena e todos vêem um helicóptero sobrevoando o local, e em seguida um fusca aparece no céu indo em direção ao helicóptero. Coruja entra na mente do motorista e vê pânico então o acalma. Espectro corre pra lá em versão sombra. Puma gira os braços jogando um ventinho pra desviar o fusca mas só faz ele girar, enquanto Clint mete bala no fusca pra desviá-lo. Espectro pega o motorista justo quando Clint acerta e muda a direção do carro, e um cachorrinho muito irritante pula na orelha de Espectro fazendo ele largar o motorista em pleno ar. Ele mergulha e se esforça ao máximo pra tocar o motorista e passar um pouco de sua sombrice pra ele fazendo os dois intangíveis pouco antes de tocarem o solo. Sim, Puma salva o cachorrinho. O fusca bate no canto helicóptero fazendo o girar e perder o controle, então Puma faz um colchão de vento pra segurá-lo enquanto o piloto milagrosamente consegue retomar o controle. O fusca crava num apartamento ali perto.

É daí que surgem aquelas leis bizarras

Clint vai checar donde tacaram o carro, Clint fica interrogando as pessoas, dizem que um cara baixinho e fortão com coisas pontudas nas mãos só chegou e arremessou o carro, depois foi embora. Coruja e Puma vão no apartamento checar se tem feridos. Puma chega antes, vê que todos estão bem e volta. Coruja chega no fusca e usa seu psiquismo pra ver o que aconteceu com o carro antes da vôo. Coruja vê o carro parado na rua quando um sujeito pequeno mas forçudo com as pontas dos dedos bem compridas e jurando vingança em russo pegando o carro e jogando no helicóptero. Ele passa isso pros comparsas e eles checam por meliantes com essa descrição mas não acham nada.

Espectro vai no cargueiro ajudar as pessoas. A fumaceira não deixa ele ver nada, só ouve as pessoas pedindo socorro. Ele chega num dos feridos que está com a perna esmagada. Ele torna o cara intangível também e o puxa dos escombros. Puma chega e tira a fumaça com um ventinho. Puma vasculha e acha outro cara caído, ela o pega e trancam a porta da sala que ela está mas ela consegue sair antes de fechar. Lá fora dois funcionários iam pra saída. Dizem que a porta não podia ficar aberta por ser muito perigoso pelas coisas que se fazem lá. Puma diz que tem um cara lá dentro e que eles tem a abrir a porta. Um dos caras se recusa por ser segredo, o outro fica todo amedrontado sendo intimidado pelo outro cara. Puma ameaça deixá-los morrer, o medroso resolve abrir a porta enquanto o outro sai correndo.

Clint na interrogância vê uns caras esquisitos no local, terninho e ponto no ouvido, conversam algo e se afastam. Clint nota neles um crachá duma empresa chamada Lymatech e vê a mesma marca em destroços do cargueiro. Cola nos engravatados e começa o interrogatório. Os caras dizem que trabalham pra Lymatech e que esse acidente foi lastimável mas todas providências serão tomadas e a imprensa logo terá uma nota. Ele entram num carro preto chique e somem. Clint vai pro cargueiro ajudar.

Protegendo o mundo da escória heróica

No cargueiro todos tão ajudando o restante das pessoas quando o barco dá um tranco, balança e começa a afundar bem rápido. Todos se salvam, menos um cara que fica na água, Espectro vai pegá-lo e nota que o cara está em pânico total só que pelo líquino negro que vazou no navio estar indo pra ele. Ele gruda em Espectro que o tira de lá. Todos chegam na margem seguros enquanto o cargueiro termina de afundar.

Logo os escombros são arrebentados por um caminhão reforçado com a marcona da Lymatech na lateral. Todo tipo de socorro chega, muita gente treinada começa a tomar conta do local, separa as pessoas, monta um centro de tratamento, interrogatórios, limpeza e tudo mais. O povo da Lymatech cuida de tudo, mas de uma forma um tanto hostil que incomoda nossos destemidos vil… digo, heróis. Espectro vai na caruda até a água e pega uma amostra do líquido que vazou. Os técnicos relutam um pouco mas não impedem. Puma corre num repórter e conta que rolava experimentos bizarros no cargueiro mas logo chega um pessoal da empresa pra tomar conta.

Clint e Coruja vão arrumar encrenca com uns engravatados. Clint chega intimidando um, Coruja joga um sentimento de culpa no cara, mas ele não libera nada, então Clint puxa a arma, montes de seguranças e polícia cercam os dois. Discussão pra todo lado, Coruja controla a mente duns seguranças pra agrem contra os outros, muita tensão até que Clint deixa o cara ir. A polícia cola em Clint mas Coruja dá uma mão mental e eles ficam de boa.

Na tenda médica, todo mundo sendo tratado, Espectro vai até o cara que ele salvou da meleca malígna e começa a interrogar. Um cientista/médico já cola do lado dizendo que o cara precisa descansar. Espectro ignora e continua interrogando só que o cara fica intimidado pelo cientista e só fala que trabalhava na limpeza e não sabia de nada,  obviamente mentindo. Espectro então ameaça usar a amostra de meleca que ele pegou no cara, então ele fica com medo dele e do cientista. Logo mais cientistas aparecem. Espectro chama os outros que já colam no montinho e a tensão aumenta. Puma fica atrapalhando os cientistas que cuidam das outras pessoas. No processo ela nota um cara entrando, um senhor bem alinhado de terno branco e chapéu. Ele tira o chapéu mostrando a careca. Uns cientistas o cumprimentam e voltam pro trampo, Puma fica observando enquanto o cara observa a muvuca. Coruja então entra na mente do pobre coitado que tava sendo interrogado e vê a imagem do cara mexendo no computador e quando os alarmes soam ele levanta apreensivo e a roupa dele tem uma leve mudança, o jaleco encurta um pouco e ele tá com uma vassoura e começa a correr. Todos ficam frustrados e saem de lá tentando entender o que aconteceu. Puma conta do cara de branco e quando o povo procura não tem ninguém assim.

Mistééério

Sem muito o que fazer Espectro resolve seguir um dos caminhões em forma de sombra enquanto o resto espera novas informações. O caminhão chega num galpão no meio da cidade, funcionários descarregam e anotam coisas, levam coisas por portas diversas. Espectro vai pulando entre sombras fuçando nas portas, encontra laboratórios, equipamentos, muita segurança e tecnologia. Até chegar numa sala escura com luzes ultravioletas. Nas paredes vários símbolos estranhos separados em placas, en numa das paredes uma lousa com muitos rabiscos malucos. Uns poucos funcionários trabalhando em computadores. Espectro espera um pouco e aparece um cientistas tiozinho, fala algo com os funcionários e uma porta se abre na parede. Boiando num líquido verde tem um amontoado de carne com traços humanos acumulados tipo três nariz nos sete joelhos, totalmente deformado. Tubos ligados na coisas, o cientistas mexe em controles e pranchetas e vai embora. Espectro vai embora.

Tipo isso versão humana

Enquanto esperam depois de um tempo notam o carinha medroso que Puma salvou olhando pra eles num beco todo encolhido. Puma cola lá rapidão, o cara diz que tem que contar o que aconteceu de verdade pois alguém tem que acabar com isso, mas não pode falar lá, dá um endereço pra ela pra encontrá-lo lá. Puma volta e conta o que o cara disse. Logo o povo migra pro endereço. É um sobrado qualquer, Clint fica fora vigiando, Puma e Coruja entram e Espectro chega logo depois mas fica escondido. O cara abre a porta todo paranóico e começa a contar a história. O responsável pelos ataques é o Doutor Vânia Roschenko, um cientista importante que trabalhava na Lymatech até umas semanas atrás quando foi expulso de lá com briga e ameaças. Diz não saber o motivo do cara sair só que tem a ver com o filho dele. E outros pontos da Lymatech já foram atacados mas foi tudo abafado e nada foi tão grande quanto o de hoje, e se continuar assim mais inocentes sofrerão. O cara não sabe sobre o paradeiro do maluco, só que ele fez uns experimentos nele mesmo e ficou alterado. Dá a localização de uns centros da Lymatech. Pede pros heróis o protegerem e blablablá.

Do lado de fora Clint nota um carro parecido com aqueles dos engravatados da Lymatech estacionado ali perto só que ele não viu o carro chegando. Alerta o povo dentro da casa que tem alguém por lá. Todos ficam paranóicos. Ouvem o som de vidro quebrando bem baixinho. Imaginam que o tal de terno branco está lá e falam pro nada que querem fazer uma aliança temporária com a Lymatech pra resolver esse problema antes que mais pessoas se machuquem, mas não tem resposta. Clint vê um cara engravatado e com uma maleta de alumínio indo pro carro e abrindo a porta, Espectro e Puma saem da casa direto pro carro. Puma para na frente do cara, Clint atira nele mas nada machucante e Espectro vem pela sombra e dá seu toque geladinho nocauteante que derruba o cara. Lá dentro Coruja vê algo pequeno voando e saindo pela janela e em seguida o cara que tava com ele desmaia. O povo pega o engravatado, pega o desmaiado e seguem se carro pelas ruas.

Tentam abrir a maleta do cabra mas tá bem trancada. Amarram-no e o acordam. Muita conversa, intimidação e ameaças de materializar o braço em locais nada agradáveis fazem o cara revelar que é um mercenário trabalhando pra alguém que ele não conhece que o contacta via fone e que foi contratado pra injetar um composto químico no tal funcionário da Lymatech que vai fazer ele esquecer as últimas horas. No meio da conversa o cara fala que já que eles são heróis tem mais o que fazer e nesse momento passa um caminhão desgovernado no cruzamento e ouve-se uma batida. Puma vai lá checar, feridos e destruição padrão, ela deixa os paramédicos cuidarem e volta por carro. Mais ameaças depois pegam o contato do cara pra ele fazer uns trampos depois. Largam-no pela rua e seguem com o carro dele pra sede da Lymatech que Espectro fuçou pra conversarem com alguém de lá sobre a zica.

Clint prefere ficar num boteco ali perto. Puma chega antes e é levada por guardas bem confusos e surpresos até um chefe lá. Puma relata que sabe do maníaco e que quer pegar o cara, o chefinho diz que vai passar a proposta pra cima e ver no que dá. Nisso o resto chega e é levado pra salinha também. O chefinho volta e diz que topam, oferece uns alojamentos pros heróis esperarem enquanto os povo acha o Dr. Vânia. O povo fica morgando por lá.

Espectro nota uma movimentação estranha dos guardas e os segue, chega numa sala de segurança que tão mostrando destruição numa telas, provavelmente o ponto onde o Dr. Vânia tá atacando agora. Os heróis são chamados e passam pra eles que uma fábrica da Lymatech ali nos arredores da cidade tá sendo atacada pelo doutor e já despacham o povo pra lá. Clint vê os carrões levando seus camaradas, e quando vai pegar a moto pra seguí-los sente uma picadinha nas costas. Suspeita do mercenário safado mas não o acha, segue o povo.

Chegam na fábrica, destruição rolando solta, funcionários já retirados, os heróis entram. Puma corre pela fábrica procurando o maníaco. Espectro vai em forma de sombra e Coruja enrola pra entrar até tomar coragem e vai procurando. Clint chega depois e enrola um tempão até entrar. Puma acha o tal e grita com ele pra ser ouvida tentando conversar, o maluco joga coisas nela desabando entulho pra todo lado cortando suas rotas de fuga e machucando-a bastante. Espectro chega nela e a passa prum local mais seguro no nível abaixo, depois volta pra conversar. Em forma de sombra não é afetado pelas tralhas que o doutor joga nele. Espectro fica falando até que o doutor se acalma um pouco e pára pra ouvir. Espectro diz que sabe onde tá o filho dele e que pode ajudar a resolver, o cara fica lokão querendo saber e tudo mais. Espectro pede pro cara explicar direito o que tá rolando enquanto deixa o comunicador ligado pros camaradas ouvirem, o cara fala que um tempo atrás num dos experimentos dele o filho foi afetado e agora ele tava pesquisando um jeito de consertar a merda mas tiraram ele da pesquisa pois num tava dando resultados e sumiram com tudo. Então ele ficou putão saiu por aí arrebentando tudo até achar os dados e equipamentos dele pra ele continuar a pesquisa. Espectro diz que vai ajudar e eles tem que fingir que os dois fugiram juntos enquantos o resto dos heróis continuam querendo pegá-lo, então os heróis armam a zona na Lymatech pra eles entrarem, ou algo assim.

Dr. Vânia Roschenko

Clint e Coruja chegam em Puma, Clint a cura e todos sobem de volta pra onde está a treta. Todos concordam com a zona, Espectro e Vânia fogem juntos enquanto o resto finge que tenta impedir, e a fábrica é totalmente destruída. Vânia corta umas portas no meio do caminho e segue pelo esgoto até chegar numa caverna nos arredores da cidade. Espectro manda ele esperar lá até poderem agir, Vânia diz que sua paciência é curta então é bom agirem logo. O resto volta pra Lymatech a espera de outra oportunidade pra pegar o doutor.

Clint vai passear pelas ruas, Puma fica por lá e Coruja controla um guarda pra passear pela base. O povo marca de se encontrar num buteco, chegam lá e Coruja tá com seu guarda controlado. Marcam outro ponto e mandam Coruja se desfazer do guarda, ele prende o mané em algum canto da cidade e se encontram por aí. Conversam e não decidem nada. Voltam a passear. Clint sentem outra picada e fica zonzo. Alguém o põe num carro, ele atira mas erra, até que capota. Já Coruja é abordados por malacos que jogam um saco preto na cara dele impedindo-o de achar as mentes dos alvos e é jogado num furgão. Espectro volta pro Vânia e dá o endereço da base da Lymatech, Vânia não acredita pois sabe que aquele ponto é um supermercado que ele sempre passava perto, mas Espectro o convence que é lá mesmo, então Vânia vai lokão pra lá. Puma recebe a visita do moço do terno branco em seu alojamento. Ele diz que precisa que ela capote o doutor Vânia senão os camaradas dela vão morrer, e mostra imagens de Clint e Coruja presos com tubos enfiados e demais desagradaveizices. Puma reclama que ele é muito forte mas o cara num liga, diz que o cara tá vindo e desaparece.

Espectro chega antes e vai direto pra sala maligna, chega lá e os funcionários tão sendo evacuados pois já detectaram o cabra indo pra lá. Antes de sair o cientista de antes parece notar algo estranho na sala, Espectro fica quietinho na sombra, mas o cientista desconfiado volta pra sala e fica mexendo num computador. Espectro vem por baixo pra dar o toque geladinho mas o cara pula no susto e diz que sabe que tem alguém ali e manda aparecer logo. O cara longe se qualquer sombra então Espectro pula de uma pra tocá-lo as é agarrado por pessoas invisíveis que o travam no lugar. O cientista zomba dizendo que a sombra de Espectro num é nada comparada a total escuridão que é ele. Até dá uma risadinha maléfica.

MUAHAHAHAHAHAHAHAHA

Vânia chega e começa a arrebentar tudo, Puma tenta detê-lo mas não com muito esforço e o cara vai entrando na base. Nossos amigos Clint e Coruja acordam num quartinho caindo aos pedaços só de calças e com as mãos atadas nas costas. Clint corta as amarras com um tiro e eles saem do quartinho, estão no meio duma favela, as pessoas os evitam, Coruja pega na mente das pessoas que ali é ponto dum traficante ali da área mas ninguém sabe quem deixou eles lá. Eles pegam umas roupas e celular e tentam contactar seus companheiros. E tentamos resolver na próxima sessão.