Archive for the ‘Vampiros do Oriente’ Category

h1

5º sessão de Vampiros do Oriente da Graci

11/09/2009

5º sessão da mesa de Vampiros do Oriente – Hong Kong da Graci

Na noite seguinte a última sessão acordamos eu e Tatsuo com Chuuki falando na nossa cabeça, dizendo que armou uma reunião pra gente com uns metamorfos, diz que são uns caras firmeza e honrados e que só vai falar com a gente se os outros dois envolvidos na encrenca também forem. Diz pra estarmos na baía as 22h que nos levarão de barco até uma ilha muquiada. Tatsuo liga pra Zhan e Yun e manda eles pro meu restaurante, lá explico a treta pros dois. Tatsuo leva uma katana de presente, eu umas comidas. No horário combinado estamos na baía e aparece um cara baitolinha que eu e Tatsuo reconhecemos como o Chuuki em versão humanóide.

E esse cara fica falando na minha cabeça.... Tzk tzk...

E esse cara fica falando na minha cabeça.... Tzk tzk...

Nós cinco vamos até um barco onde uma mina nos barqueia até uma ilhazinha isolada. Lá trombamos um cara que reconheço ser parte duma tríade, somos levados por uma caverna onde encontramos um velhinho chinês. Sentamos, entrego meu presentinho pra ele, o que o deixa já meio desnorteado com minha total falta de maneiras.

Pseudo Pai Mei

Pseudo Pai Mei

Explicamos pra ele a treta que sabemos e que queremos resolver, ele diz que sabe do que tá pegando e explica que o Yomi (inferninho) tá com uns vazamentos pro nosso mundo. Diz de outros lugares além do templo dos macaquinhos, Yun mostra pra ele quais são e o véio levanta a sobrancelha impressionado. Diz que a zica é por causa dum troço fodão que morreu, o Ravana, e ele estaria usando o templo pra poder voltar pra esse mundo. Mostra pra gente um pergaminho com uma profecia falando que um estrangeiro vai zoar tudo. Nós analisamos e sacamos que tem a ver com dois Yama Kings, os demoniões fodões, Mikaboshi e Toumu, que vão dividir a porra toda apesar de serem inimigos, e vai rolar muita dor e escravidão.

Antigo tomo de sabedoria

Antigo tomo de sabedoria

O cara diz que vai responder as coisas que puder mas não fazemos idéia do que perguntar. Nos sugere botar os dois no Wu mas eu eu Tatsuo num curtimos a idéia. Nos conta dos outros cantos que tão sendo corrompidos, um banco, uma poça e um boate. Armamos com eles de zoar a o banco, os caras aprontam algo de dia pra gente entrar de noite e resolver a treta. Diz que o cara que recebeu a gente, o da tríade, é um dos metamorfos ocidentais. Tatsuo entrega a Katana e vamos embora. Zhan vai atrás dum cara que ele tá caçando e nós vamos falar com o chinês loko das contas que sabe sobre esse lance de purificação.

Zhan pega o cara e tortura pra descolar info.

Chegamos na casa do véio maluco das contas, ele puxa a orelha de Yun por ter mexido nas coisas dele na noite passada obrigando o cara e redecorar todo o lugar. Muito papo sobre protocolo e frescuras então passamos a treta pra ele, dos lugares corrompidos. O véio diz que ensina mas é difícil, ficamos lá aprendendo sobre feng shui e escrotices similares. Sacamos que o tal banco que tá sendo corrompido foi construido num corredor de chi. Vamos lá checar o tal.

Passeamos num parque de estátuas que tem por lá, checamos se tem algo de errado e nada. Depois vemos o banco e notamos que o chi tá desviando do banco pela construção do mesmo. Umas rachaduras aparecem no prédio, o chi tá ficando corrompido lá dentro e acumulando. Tatsuo vai pesquisar sobre a construção do prédio e história do tal.

Tá precisado de um Feng Shui Gon Kau Style mesmo

Tá precisado de um Feng Shui Gon Kau Style mesmo

Na noite seguinte o metamorfo tríade passa lá no meu restaurante e deixa umas credenciais pra equipe de manutenção de elevadores marcada praquela noite. Diz que uns andares tavam inacessíveis, possivelmente pela treta chiquica, e algumas pessoas tão ficando doente e violentas no lugar. Trocamos contatos para futuros trampos, ligamos pros caras e arrumamos os disfarces de manutenção.

Hmmm… ando muito diplomata com meus porradeiros, e porradeiro com meus diplomatas.
Na próxima, Gon Kau Encanador
mario

h1

4º de Kindred of the east – Hong Kong da Graci

13/07/2009

4º de Kindred of the east – Hong Kong da Graci.

Nessa o Hugo voltou com seu Dragão Inquieto Zhan (ou algo assim).

Episódio de hoje: Além da imaginação! – tininini tininini tininini…

Na noite seguinte a treta do templo dos macacos acordamos meio diferentes, acordamos dominados por nossos P’os, nosso lado capetinha, versões nossas com cavanhaques. Meu tem uma personalidade Escrava, o do Tatsuo é Bandido e do Yun Lee é Enganador.

Começo no meu barquinho-buteco, noto que há algo diferente no ar, as pessoas me olham estranhas, o movimento tá baixo, até pergunto prum cliente se tá acontecendo algo mas nada. Começo a checar tudo que há no barco atrás do que tá fazendo esse clima estranho, mas num acho nada. Tento falar com meu Nushi, o Chuuki, mas pela primeira vez ele não responde, tento falar com o Tatsuo via link mental mas também não funfa, muito estranho. Ligo pra ele mesmo.

Yun acorda, revê as tretas do dia anterior e resolve sair pra aloprar.

Tatsuo acorda de rabo virado, põe uma roupa bem zuada que ia pra doação e sai pra aloprar também. Tromba um turista belga na rua, espanca o coitado, pega grana, cartões, passaporte, roupas e joga o cara no lixo. Tromba Yun Lee, os dois resolvem aloprar juntos.

Tatsuo me atende, diz que precisa de ajuda num troço, com toda a prestatívidade do muuundo eu digo pra virem pro barco. Eles chegam e já estou todo pronto pra sair. Tatsuo me entrega os cartões e pergunta se conheço alguém que pode usar eles pra descolar grana. Como num é meu dever perguntar motivações pego os cartões e vou fazer umas ligações enquanto Tatsuo e Yun ficam bebendo no barco.

Falhas miseráveis no dado depois resolve tentar tirar essa zica de mim. Tiro toda a roupa, passo peladão pelo barco e mergulho loucamente na água gelada. Depois volto peladão e molhadão, ponho a roupa e volto pros caras e digo que num rolou mas tento depois. Tatsuo resolve ligar pros caras ele mesmo, dou o fone e ele também não consegue. Yun sugere irmos prum cassino. Tatsuo topa e começa a treinar a assinatura do turista dono do cartão. Tempos depois voltamos pra mesa. Tatsuo manda eu vestir minha roupa decente, visto aquele troço chique que ele me deu na outra sessão.

Yun aproveita esse tempo sozinho pra ficar ouvindo as conversas dos clientes do barco, membros da tríade. Ouve uns papos sobre tráfico de órgãos e coisas fofas desse naipe, até pega um nome e fone.

Pegamos um riquixá, no caminho Yun liga pros contatos dele perguntando sobre o tal da tríade que ele pegou o nome mas não consegue nada. Digo pra ele tomar cuidado e acabo dando umas informações no processo. Chegamos à casa de Tatsuo, ele põe uma roupa chiquetosa e indico um cassino firmeza pra eles. Chegamos lá, Tatsuo vai jogar com o cartão roubado, joga várias coisas, ganha uma graninha, sem grilos. Yun fica xeretando a conversa dos outros.

Saímos de lá e vamos prum inferninho, Yun escolhe uma mina, Tatsuo escolhe duas e escolhe três pra mim. Yun resolve aprontar e convence o cafetão a mandar um traveco pro Tatsuo. No quarto Yun fica conversando com a mina. As minas de Tatsuo começam os strips até que Tatsuo percebe o pacote extra. Desce e chacoalha o gerente exigindo reparação, o cara manda o traveco de volta e manda duas minas de cortesia. No meu, ainda com minha personalidade extremamente serviu eu fico meio perdidão. Tatsuo começa uns bondage e torturas, quebra o espelho e começa a cortar as minas, que esperneiam amordaçadas. Eu resolvo servir as minas da melhor maneira possível e começa a zona no quarto. Yun fica só ouvindo nossas bagunças.

Zhan chega. Acorda, fala com seu dragãozinho companheiro e descobre onde tá o cara que ele tem que matar. Chega saltitante no inferninho, quase invisível pega o segurança por trás de começa a estripá-lo. Todos ouvimos os gritos. Vamos checar e achamos o cidadão todo aberto no chão mas não achamos o responsável. Tatsuo e Yun vêem um monge estranho bem ao longe no alto duma casa (Zhan). Nesse ponto voltamos ao normal, chega do maldito P’o nos controlar.

Volto pro quarto, olho as minas com desprezo, anoto meu número na barriga duma delas e saio fora gritando pro Tatsuo andar logo. Tatsuo chega ao quarto e vê a bagunça que ele tava fazendo, desamarra as minas e faz uns curativos. Todo cheio de culpa vai embora. yun se despede da mina dele e nos trombamos lá fora.

Tatsuo e Yun percebem que foram influenciados por alguma zica do templo que a gente detonou na noite anterior. Mencionam como cada um tava diferentão, eu fico na fúria. Eu e Tatsuo vamos falar com Huan Hai. Yun vai falar com o chinês maluco das contas. Passamos o que aconteceu pra Huan, perguntamos sobre o que a corte vai fazer sobre o templo por que a gente tá na pilha pra chegar lá dando porrada. Ela diz que vai demorar um pouco ainda e que é melhor nós aproveitarmos esse tempo pra aprender mais pois o bicho do templo é bem fortinho. Vamos embora, Tatsuo vai falar com o mentor/a dele e ganha o mesmo papo.

Yun fala com o chinês contador, consegue umas bobagens. Depois vai ao zoológico falar com uma mina truta dele, consegue mais bobagens. É, num prestei atenção…

Zhan volta pro seu templo (aquele templo), encontra as tralhas indianas, é atacado pelas trepadeiras mas passa fácil. Tromba uns macaquinhos mas passa a faca neles também. Encontra uma estátua dum bicho indiano, um demônio dançarino tipo o Golimar. Acha a mina que tá zoneando no templo. Troca idéia com ela, manda ela vazar do templo dele mas ela nem liga. Ele a ataca mas ela some. Zhan desconta a raiva nums macaquinhos.

Só tem nego ruim nessa mesa mesmo.

Zhan - Nosso monge macaquicida.

Eu resolvo aprontar. Descolo um trator e um motorista e vou pro templo. Chamo Tatsuo no meio do caminho. Nos trombamos no templo, infelizmente o trator não consegue subir a escadaria do templo. Lá em cima nos vemos o monge maluco com macaquinhos espetados na espada. Chegamos junto, trocamos idéia, discutimos nossas opções e resolvemos voltar depois quando tivermos mais capacidade pra arrebentar quem tá zicando o lugar. Destruímos umas estátuas escrotas, tentamos quebrar a estátua do Golimar mas o bagulho é indestrutível, umas ligações mágicas nela. Faço um buraco no teto pro sol bater ali, vai que zica a magia né.

Zhan vai conversar com o Anguo Shum, o príncipe da porra toda. Mostra os macaquinhos mortos e reivindica o templo dele. Anguo diz que depois que eles consertarem a zica ele pode ficar com o templo. Tatsuo e eu vamos falar com uns espíritos amiguinhos e conseguimos um possível contato com uma criatura bizonha que não é um vampiro.

Na próxima sessão: Gon Kau, o Diplomata.

Temei!

h1

3º de Kindred of the east – Hong Kong da Graci

25/04/2009

3º de Kindred of the east – Hong Kong da Graci.

Episódio de hoje : Spanking the Monkey

Começamos com eu experimentando meu novo poder, correr na água e coisas assim. Fico passeando pela água quando vejo uma silhueta nadando ali próximo. Reconheço como o espírito safado que tentou me matar umas mesas atrás. Fico seguindo a criatura. Dou um toque telepático pro Tatsuo, meu colega de Wu, ele parte pra me encontrar.

Seguindo a criatura vejo que ela chega numa ilhinha. Tento pegar ela de surpresa, dou um pulão com meu novo poder pra agarrá-la, mas atravesso-o. Malditos espíritos.

Tatsuo chega no meu barco, passo minha localização pra ele. Ele pega meu barquinho reserva e vai remando pra ilha, no meio do caminho se transforma num mostrão, o poder dele.

Vou ativando meu poder de socar espíritos mas demora, então fico perseguindo-o. Consigo dar uns petelecos, Tatsuo chega e entra na briga. Ficamos socando o bicho até ele sumir. Hunf.

Voltamos pro barco, aviso Huan Hai, minha mentora do que aconteceu.

Yun Lee descobre dumas tretas rolando num templo e resolve investigar, liga pro Kyosho, um japa Garça velhão, que recomenda ele chemar seu pupilo pra ajudar como treino. Yun liga pra Tatsuo e marca de investigar a parada.

Na noite seguinte, nos alimentamos e vamos ao encontro de Yun. Chegamos numa ruazinha do tal templo, toda tomada pelo mato. Lugar estranhamente silencioso, vamos seguindo, chegamos na base do templo, vamos subindo as escadinhas. A vegetação começa a mudar prum lance mais indiano e quente. Cipós começam a se mover. Nos preparamos pra porrada.

Cipós atacam, Tatsuo os fateia com sua katana. Yun fica pulando se esquivando. Uns me prendem mas arranco na brutalidade. Encontramos um bolo de cipós que aparenta se a fonte. Abro caminho pelos cipós e Tatsuo fateia a coisa, mas num tem nada de mais. Escutamos um barulho, parecido com um alerta de macaco.

Seguimos o caminho e continuamos ouvindo barulhos de macacos ao redor. Até que um pára na nossa frente, com feições um pouco humanas e armadura de casca de árvore. Páramos e ficamos encarando o bicho. Yun continua andando. O bicho pula em Yun mas fala miseravelmente. Tatsuo põe a espada no pescoço do bicho e começa a trocar idéia. Manda o bicho nos levar ao líder dele. Ele concorda.

Vamos andando, então macacos pulam na gente. Tomo uma dentada duída. O nosso guia sai correndo, Yun corre atrás. Pego o macaco que me dentou e arrebento o crânio de outro. Tatsuo arrebenta mais dois. Yun consegue prender o bicho fujão. Levo o meu macaco de refém.

Ok, um pouco diferente disso.

Ok, um pouco diferente disso.

Tatsuo usa seu poder e puxar memórias do bicho. Descobrimos que o local virou um pedaço do Yomi, tipo um inferno eu acho, e um espiritão malvadão tá corrompendo tudo, e possui e transformou os macacos que agora o servem, e também que o bicho se parece com uma mulé indiana.

Conversamos com nosso Nushi, o Kirin Chuuki, e descobrimos mais sobre a treta, a critura e seus objetivos. Sacamos que o bagulho é bem foda pra gente tretar então resolvemos levar a informação pros anciões.

Voltamos, ligo pra Huan Hai e a encontramos. Contamos a zica toda, ela marca uma audiência com o Ancestral manda-chuva. Trombamos o Ancestral e passamos a fita de novo. Ele manda matar o macaco refém, faço isso duma forma pouco ortodoxa. hehehe. Mordo a cabeça do bicho e torço seu tronco até arrancar a cabeça. Depois a jogo pro alto e rebato com meu Tetsubo.

O Ancestral dá umas broncas em Yun Lee por não ter se apresentado antes e manda ele começar a se reportar pra ele a partir de então. Depois sai fora.

Huan Hai me dá umas broncas por fazer coisas bizarras na presença do Ancestral, mas sabe que eu nem liguei. hehe. Fica de me ensinar boas maneiras. Uma tarefa épica.

h1

“2º” de Kindred of the east – Hong Kong da Graci.

27/03/2009

“2º” de Kindred of the east – Hong Kong da Graci.

Nessa o Seyia entrou como Yun Lee, Tigre-demônio

Semanas se passam desde a última sessão. Tatsuo (pj do Angelo) vai checar seu dojo e dar aula quando é avisado pelo nosso Nushi, o Kirin Chuuki que ele está sendo observado e que tem criaturas no local. Tatsuo investiga e descobre montes de ratos que estariam sendo controlados por alguém. Eles decide fechar o dojo por uma semana pra limpar esse problema, passa tudo pros asseclas dele.

No dojo ele tromba um cara esquisito, um ocidental que tá no meio do dojo coletando coisinhas e guardando em saquinhos. Tatsuo cola junto e começa a conversar com o cidadão. Descobre que ele é um vampiro ocidental e tá investigando o aparecimento dos espíritos malvados pela cidade.

Tatsuo chama ele pra conversar num lugar mais reservado, meu barco. Convsersamos telepaticamente (graças ao Chuuki), ele me avisa sobre o cara e reservo um espacinho pra conversarmos.

Ele chega com o vampiro, sentamos na mesinha e trocamos idéia. Boto a banca em cima do coitado que dá uma tremidinha. Trocamos contato e ele se vai. Marco com Tatsuo de visitarmos a floresta pra ver os espíritos na noite seguinte.

Yun veio de Beijing, fala com um monte de gente e descobre nossa existência. Fala com o Kyosho, nosso japa-mentor, que descola o fone do Tatsuo pra ele.

Ele liga, conversam e marcar de se trombar na noite seguinte num restaurante.

Converso com o Chuuki sobre espíritos mas ele num me entende direito então fico conversando com ele o resto da noite pra ele começar a entender as gírias e me entender.

Naaaa noite seguinte vamos até a floresta. Levamos oferendas pros espíritos, fazemos uma cerimônia, o Tatsuo todo certinho e eu todo porra-louca, eles aparecem, pagam um pau pro Chuuki, ficamos amiguinhos e vamos pro cimitério. Lá o Tatsuo fala com os mortos, inclusive um cara que ele matou um tempo atrás. Fica de arrumar roupas e pás pros fantasmas (agora pra que diabos eles querem umas pás…).

Vamos pro restaurante encontrar o Yun. Tatsuo me arruma uma roupa chiquetosa e fico parecendo gente. Entramos, chamo a atenção do restaurante inteiro, o povo pensa que sou artista de cinema, tipo vilão de filme de kung fu. O yun já tá lá. Pedimos um montão de saquê e comida.

Conversamos, Yun diz que é protocolo da corte e tá investigando sobre um Akuma que anda recrutando novatos pro lado negro. Chama a gente pra se juntar as investigações mas recusamos. Trocamos contatos, ficamos de passar info um pro outro.

h1

“1º sessão” KoE Hong Kong da Graci

16/02/2009

Mesa de Vampiros do Oriente – Hong Kong da Graci.

Sei lá qual sessão estamos.

Tô com Gon kau, Dragão Inquieto, dono dum barco-restaurante, dotô butralidade.
O Angelo tava com um japonês cheio das artes marciais, Canção das sombras, eu acho.

Meu personagem parece com isso, só que com cabelo.

Meu personagem parece com isso, só que com cabelo.

Começa com um cliente meu mergulhando no rio e afundando hipnotizado. Gon Kau vai atrás e consegue salvar o pulha. Já no barco percebe um bicho estranho na água, uma mulé misturada com água e pedindo ajuda. Ele mergulha e vai indo até não enxergar mais nada, tentáculinhos enrolam em seus braçose puxam mais pra baixo. Já cabreiro pela falta de informações até ali arrebenta os tentáculinhos e volta pro barco.

O japa, em seu dojô treinando recebe a visita duma mina gostosa e com espinhos tatuados pelo corpo. Ela desafia ele pra pancadaria, os espinhos levantam e o pau começa. Ele arrebenta ela, e do cadáver sai uma baratona que foge. Ele resolve enterrar a mulé.

No barco, Gon Kau chama a mentora dele e explica o que aconteceu, ela diz que a mulé era um capetinha que precisa ser pedalado, mas pra isso ele precisa achar ela e só com um espírito guardião dá pra fazer isso. Ela diz que o esírito só ajuda os grupinhos. Então Gon Kau vai até o Japa pra formarem o tal grupinho. Ele topa.

Dias depois, rola a cerimônia de formação do Wu (o grupo). Cheio das pompas. Depois o povo vai festejar no barco do Gon Kau.

Dias depois o dois trombam seus mentores que faz um ritual pra eles chegarem até o mundo dos espiritos e emprestam um espírito pra guiar os mulekes. Uma bola peluda com um olho de gato e asas de morcego.

No mundo Yang dos espíritos caminhamos guiados pela bola com asas. Até que tomamos uma Bola de Fogo nos cornos. Escapamos ilesos, mas aparece um verme gigante feito de coisas de ferro-velho.
Começamos a descer porrada no caboclo, Gon Kau com o porretão e o Japa nos muquetões. Tava demorando demais e o bicho contra atacava forte. Daí começa a brutalidade. Cada um pega o verme numa ponta e começa a esticar o bicho. Esticamos o lazarento até o dobro do tamanho normal, até que Gon Kau solta, então o Japa aproveita a contração do bicho pra pregar ele no chão. E já gira ele de volta na direção de Gon Kau, que desfere uma porretada master voando pedacinho de lixo pra todo lado. Até pega um fio pra recordação.

Seguimos até uma caverna com uma entradinha. Seguimos por um corredorzinho até encontrar uma camara com um bicho no meio cercado de corpos humanos mortos. O japa vai na miúda até o bicho que reconhecemos como o tal espírito que fomos salvar. Ele pega o cidadão e volta correndo pro túnel pra tirar o bicho de lá e toma um cuspão de fogo nas costas, enquanto Gon Kau trava o caminho pra ninguém perseguir o Japa. Quando o Japa e o espírito já tão longe, Gon Kau sai no pinote e toma cuspão de fogo nas costas também, mas consegue sair.

Lá fora o bicho fica mais revigorado e diz que sangue de inocente deixa ele fraco.
O Bicho é um Kirin. Um cavalo com costas de dragão e chifre de unicórnio, e é um espírito de Sabedoria, pra contra-balancear nossa sanguinolância.

kirin_by_neondragon

Isso é um Kirin

Ele topa ser nosse Nushi (espírito guardião).

Nome provisório do Wu: The Backfire Junkworms. hehehe